Vincent Thian/AP
Vincent Thian/AP

Vettel mostra força, surpreende Mercedes e fatura GP da Malásia

Hamilton chega em segundo e reclama da Mercedes

Estadão Conteúdo

29 Março 2015 | 07h54

Com o hino alemão sendo seguido pelo da Itália no alto do pódio, a Fórmula 1 viveu um misto de nostalgia e novas perspectivas, neste domingo, no GP da Malásia, em Sepang. Afinal, para surpresa geral, a Mercedes foi superada e exatamente pela Ferrari, que agora conta com o tetracampeão Sebastian Vettel. A escuderia italiana não precisou de chuva, quebra rival ou qualquer tipo de anormalidade para chegar à frente, apenas da soma de talento do seu novo piloto com uma estratégia acertada para um bom carro. A vitória do alemão de 27 anos foi a 40.ª dele na carreira, ficando a apenas uma de se igualar a Ayrton Senna - só está atrás de Schumacher (91), Prost (51) e Senna (41).

Hamilton chegou em segundo, reclamando bastante da Mercedes pelo rádio, insatisfeito com a estratégia que a equipe montou para ele. Rosberg teve que se contentar com o terceiro lugar, enquanto o garoto Max Verstappen, aos 17 anos e 180 dias, chegou em sétimo e se tornou o mais jovem piloto a marcar pontos na Fórmula 1.

Entre os brasileiros, Felipe Massa largou bem, chegou a brigar pelo quarto lugar, mas terminou em sexto, perdendo uma disputa direta com o companheiro Valtteri Bottas, mas prejudicado por um erro da Williams no seu último pit stop. Já Felipe Nasr teve que trocar a asa do carro e completou em 12.º.

O resultado de Vettel, inesperado para um carro que pretendia brigar, quando muito, por um lugar no pódio, começou a ser construído no treino classificatório de sábado. Em condições anormais - pista secando após um temporal -, o alemão conseguiu ser mais rápido que Rosberg e se aproximar de Lewis Hamilton para dividir a primeira fila do grid com o atual campeão.

Na corrida, as coisas tomaram novo rumo logo na quinta volta. O sueco Ericsson, companheiro de Felipe Nasr na Sauber, rodou e forçou a entrada do safety car. Hamilton e Rosberg (com o alemão depois, perdendo tempo no box) foram para os boxes trocar os pneus, dos médios para os duros.

Vettel seguiu na pista e, quando o safety car foi embora, o tetracampeão puxava uma fila com Hulkenberg, Grosjean e Sainz. Hamilton vinha em quinto e Rosberg em oitavo. Não demorou para as duas Mercedes mostrarem por que, apesar do resultado da corrida deste domingo, sobram no grid. Oito voltas depois, Vettel já era perseguido por Hamilton e Rosberg, na ordem.

O tetracampeão parou na 18.ª volta, optando por pneus macios. Voltou em terceiro, mas andando em ritmo melhor que de Rosberg, ultrapassado na 22.ª. Duas voltas depois, Vettel já liderava, deixando para trás também Hamilton, que penava com seus pneus duros.

Assim que foi ultrapassado, Hamilton foi para os boxes, optando dessa vez pelos pneus macios, enquanto Rosberg escolheu manter os duros na tentativa de não precisar mais parar. Vettel corrida isolado na frente e, quando parou, na 38.ª volta, conseguiu voltar na frente de Rosberg.

Era chegada a hora de Hamilton também parar. Assim como Vettel, colocou os pneus duros, mas voltou mais de 13 segundos atrás do rival, em terceiro. Ferrari e Mercedes tinham dois carros com os pneus nas mesmas condições, faltando 17 voltas. O inglês até tirou parte da diferença, mas não conseguiu se aproximar.

Hamilton reclamou muito por ter voltado da última parada com pneus duros. A Mercedes explicou para ele que não poderia fazer diferente porque não tinha mais os médios. Favorito ao título da temporada, ele teve que se contentar em passar Rosberg e chegar no segundo lugar.

A Marussia só conseguiu largar com um carro, do espanhol Roberto Merhi, que chegou cinco voltas atrás do líder. O inglês Will Stevens não chegou a levar seu carro para o grid, por falta de peças. Na Austrália, a equipe não chegou a colocar seus carros na pista em nenhum momento.

A McLaren até surpreendeu, a ponto de Jenson Button afirmar pelo rádio que estava surpreso como o carro conseguia se aproximar dos rivais. Mas nem ele nem Fernando Alonso chegaram ao final da prova.

Confira como ficou a classificação do GP da Malásia:

1. Sebastian Vettel (ALE/Ferrari), em 1h41min05s793

2. Lewis Hamilton (ING/Mercedes), a 8s569

3. Nico Rosberg (ALE/Mercedes), a 12s310

4. Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), a 53s822

5. Valtteri Bottas (FIN/Williams), a 1min10s409

6. Felipe Massa (BRA/Williams), a 1min13s586

7. Max Verstappen (HOL/Toro Rosso), a 1min39s085

8. Carlos Sainz (ESP/Toro Rosso), a uma volta

9. Daniil Kvyat (RUS/Red Bull), a uma volta

10. Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull), a uma volta

11. Romain Grosjean (FRA/Lotus), a uma volta

12. Felipe Nasr (BRA/Sauber), a uma volta

13. Sergio Pérez (MEX/Force India), a uma volta

14. Nico Hülkenberg (ALE/Force India), a uma volta

15. Roberto Merhi (ESP/Marussia), a uma volta

Não completaram:

Pastor Maldonado (VEN/Lotus)

Jenson Button (GBR/McLaren)

Fernando Alonso (ESP/McLaren)

Marcus Ericsson (SUE/Sauber)

Não largou:

Will Stevens (ING/Marussia)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.