Williams reconhece 2º lugar na F1

Ralf Schumacher, da Williams, já não disfarça o que todos sabem na Fórmula 1 e ele e sua equipe, até há pouco, não assumiam: "Fomos os melhores do resto, ou os primeiros na classe B". Foi assim que o alemão definiu a sua a terceira colocação no GP da Hungria. "Os únicos que conseguiram chegar atrás da Ferrari com uma diferença razoável", completou. Ralf cruzou a linha de chegada 13 segundos e 355 milésimos depois de Rubens Barrichello, o vencedor. Já Juan Pablo Montoya, seu companheiro, que diz não gostar da pista travada de Hungaroring, classificou-se em 11º lugar, por ter cometido um erro e ser obrigado a fazer um pit stop a mais dos dois realizados por todos os pilotos. "Até que o terceiro lugar não é ruim tendo-se em conta nosso desempenho nos treinos nesse circuito", falou Ralf. Ele elogiou o comportamento dos pneus Michelin durante as 77 voltas da corrida. A maioria dos que os utilizaram também gostou, embora David Coulthard, da McLaren, por exemplo, citasse que eram muito duros para seu carro, daí na classificação seu time ter ficado tão para trás no grid. Montoya definiu assim sua participação no GP da Hungria: "Não era o meu fim de semana." Na largada, ele disse, alguém (Jarno Trulli, da Renault) lhe tocou, danificando o assoalho, o que fez seu carro passar a sair de frente. "Machuquei também o cotovelo esquerdo e sentia fortes dores." Apesar de tudo isso, o colombiano levou o carro até o fim, mas cruzou uma volta atrás do líder.

Agencia Estado,

18 Agosto 2002 | 15h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.