Assine o Estadão
assine

Jogos Olímpicos

CBV 'promove' etapas do Brasileiro ao Circuito Mundial

Nível técnico nas areias vai aumentar para os atletas brasileiros

0

DEMÉTRIO VECCHIOLI,
Estadão Conteúdo

05 Janeiro 2016 | 08h06

O Circuito Brasileiro de Vôlei de Praia da temporada 2015/2016 será mais curto do que o anterior. E isso é uma boa notícia para a modalidade no País. A pedidos dos atletas e de um canal de TV, a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) transformou três etapas do circuito nacional em eventos do Circuito Mundial.

As etapas de Maceió (23 a 28 de fevereiro), Vitória (15 a 20 de março) e Fortaleza (26 de abril a 1.º de maio) constam no calendário internacional como sendo da série Open, a que distribui menor premiação financeira e em pontos no ranking mundial. Mesmo assim, devem ter nível técnico elevado na comparação com o Circuito Brasileiro.

"A gente sentou com os nossos atletas, com a liderança do Emanuel, e optamos por transformar eventos nossos nacionais em internacionais. Sentamos com a FIVB, com a televisão e vamos ter finais não Brasil contra Brasil, mas Brasil contra alguém ou duas equipes internacionais", contou Ricardo Trade, CEO da confederação.

De acordo com a CBV, a entidade tentou encaixar os eventos internacionais dentro do planejamento financeiro que já existia para o Circuito Brasileiro. "São transformações para eventos que são mais motivantes, não só para os jogadores, mas também para a TV", explicou Trade.

Além dessas três etapas da série Open, o Brasil também vai organizar um Grand Slam, como ocorre tradicionalmente. O torneio será no Rio, de 8 a 13 de março. Assim, as quatro duplas brasileiras já convocadas para o Rio-2016 terão oito eventos no Brasil para jogar só até maio, quando ocorre o Super Praia, torneio que fecha o calendário da temporada nacional 2015/2016.

Após o recesso de fim de ano, o vôlei de praia nacional volta na última semana de janeiro, em Niterói (RJ). Passa por Natal de 17 a 20 de fevereiro e, em seguida, vai a Maceió. Em março há o Grand Slam do Rio e o Open de Vitória, enquanto que em abril Fortaleza recebe o Circuito Brasileiro e, na cola, o Open.

Aí os atletas terão duas semanas de treinos antes do início da parte mais intensa do Circuito Mundial, com seis torneios de nível Grand Slam ou Major antes da Olimpíada, entre a última semana de maio e o fim de julho.

Comentários