1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Brasil arrasa Bélgica e celebra vitória no Grand Prix de Vôlei

Estadão Conteúdo

22 Agosto 2014 | 08h 42

Resultado positivo deixa a seleção brasileira dependendo de duas vitórias por 3 a 0 ou 3 a 1 para se sagrar campeã da competição

A seleção brasileira feminina de vôlei ficou mais perto do seu décimo título no Grand Prix na madrugada desta sexta-feira. As comandadas de José Roberto Guimarães não tiveram qualquer dificuldade para atropelar a Bélgica por 3 sets a 0, com parciais de 25/10, 25/12 e 25/12, no terceiro jogo da fase final da competição, que está sendo disputada no Japão.

Com o resultado, o Brasil depende de duas vitórias por 3 sets a 0 ou 3 sets a 1 nas últimas duas partidas para se sagrar campeão. Na madrugada de sábado, às 3 horas, a seleção enfrentará a Rússia. No domingo, o último confronto será contra as donas da casa, as japonesas.

Para Zé Roberto, a vitória desta sexta-feira foi facilitada pela postura das adversárias. "Nunca tínhamos jogado contra a Bélgica e sentimos que elas respeitaram muito o time do Brasil. No entanto, acho que nós criamos esse respeito pela pressão que colocamos desde o começo do jogo", avaliou.

O treinador ainda fez um prognóstico do duelo contra as russas. "Agora, vamos estudar a Rússia para ver como efetuaremos as marcações. O nosso saque terá que ser bem colocado, o passe com poucos erros, a defesa bem posicionada e os contra-ataques terão que pontuar bem. Esse é o segredo contra a Rússia."

Nesta sexta, a principal destaque do jogo foi a central Thaísa. Foram 13 pontos para ela, sendo incríveis sete somente no saque. "Ontem (quinta), não consegui ter uma boa sequência de saques e coloquei na minha cabeça que hoje seria diferente. No entanto, tenho que parabenizar a equipe. Só consegui boas sequências porque nossa defesa, o bloqueio e o ataque funcionaram. Estávamos um pouco preocupadas porque nunca tínhamos jogado contra a Bélgica. Fiquei feliz porque entramos em quadra muito concentradas e não deixamos elas jogarem. Esse foi o diferencial", disse ela.

O JOGO

Apesar da facilidade que o placar aponta, o começo de jogo não foi tranquilo assim para o Brasil, que só foi para a primeira pausa em vantagem, por 8 a 5, graças a um erro das adversárias. Só a partir daí a seleção passou a dominar completamente o confronto, até arrancar para a vitória no primeiro set em ataque de Sheilla.

O segundo começou de forma diferente, com quatro pontos brasileiros consecutivos. A equipe chegou a abrir 14 a 6 e, sem dar chances para a rival, foi abrindo distância até fechar.

No terceiro set, talvez já pensando no duelo contra as russas, Zé Roberto tirou Sheilla e colocou Tandara. Mesmo sem uma de suas principais pontuadoras, a seleção seguiu totalmente dona da partida e novamente foi abrindo vantagem até fechar mais uma vez com extrema tranquilidade.