1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Brasil bate Rússia e fica perto do título no Grand Prix de Vôlei

Estadão Conteúdo

23 Agosto 2014 | 09h 25

Sem dar maiores chances à tradicional rival, o time do técnico José Roberto Guimarães acumulou a terceira vitória seguida no torneio

A seleção brasileira feminina de vôlei ficou mais perto do 10º título do Grand Prix na madrugada deste sábado ao superar a equipe da Rússia por 3 a sets a 0, com parciais de 25/12, 25/21 e 25/20. Sem dar maiores chances à tradicional rival, o time do técnico José Roberto Guimarães acumulou a terceira vitória seguida e tentará alcançar o troféu neste domingo.

Para se sagrar campeão, o Brasil precisa vencer o Japão por 3 sets a 0 ou 3 a 1, na casal do adversário, em Tóquio. Embora não seja uma final, a partida será um confronto direto pelo troféu. As japonesas levam o troféu se vencerem dois sets porque têm vantagem na tabela do hexagonal que decide o Grand Prix. Tem 12 pontos, contra 10 das brasileiras.

Kiyoshi Ota/EFE
Brasil precisa vencer o Japão por 3 sets a 0 ou 3 a 1

Na partida deste sábado, o time nacional contou com grande apresentação das centrais. Fabiana foi a maior pontuadora da seleção, com 17 pontos. Thaísa contribuiu com 12. E, com este desempenho, as brasileiras dominaram as russas desde o início. Só no primeiro set o Brasil marcou mais que o dobro de pontos das rivais. A equipe da Rússia melhorou nas parciais seguintes, mas não o suficiente para ameaçar o triunfo brasileiro.

"Estudamos muito a Rússia. Elas têm excelentes atacantes e, se as jogadoras atacarem por cima do bloqueio, fica complicado. No entanto, conseguimos tocar nas bolas e defendemos bastante. Assim, dificultamos a vida das russas e facilitamos o jogo para nós", comentou Thaísa, eleita a melhor jogadora da partida.

Na avaliação da capitão Fabiana, o desempenho do time brasileiro foi o melhor nesta fase final do Grand Prix. "Essa foi a nossa melhor partida na fase final. Enfrentamos uma equipe forte e conseguimos executar o nosso jogo. Todos os fundamentos funcionaram hoje. Sabemos que ainda podemos melhorar, mas o time foi agressivo o tempo todo e precisamos jogar assim", declarou.

Para a partida deste domingo, considerada a final da competição, Thaísa previu mais um confronto difícil. "As japonesas estão muito bem e vai ser complicado ganhar delas. Está difícil derrubar a bola na defesa nipônica. Esse Grand Prix está muito equilibrado, mas só dependemos de nós. Sabemos da dificuldade de jogar com países asiáticos pela velocidade do jogo. Será uma partida de muita paciência", pregou.

Atual campeão e maior vencedor da história da competição, o Brasil buscará o 10º troféu a partir das 7h05 deste domingo (horário de Brasília), em Tóquio.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo