1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Brasil vence Itália na Liga Mundial e fica perto da vaga

AE - Agência Estado

03 Julho 2014 | 17h 57

Com vitória, seleção tem chance de se classificar em terceiro

A seleção brasileira masculina de vôlei parece ter ressurgido das cinzas. Nesta quinta-feira, jogando pressionado em Bolonha, o time do Brasil venceu a Itália por 3 sets a 1 (parciais de 25/16, 21/25, 25/19 e 25/19) e pode voltar à quadra para a última partida da fase intercontinental, domingo, em Milão, garantido na Super Final, que também vai acontecer na Itália.

Com a vitória desta quinta-feira, o Brasil chegou aos 14 pontos no Grupo A da Liga Mundial, na terceira colocação. A equipe não pode mais alcançar Irã e Itália, que têm 19 anos, e brigam pela liderança. O terceiro colocado da chave vai à Super Final porque os italianos, como donos da casa, têm vaga assegurada e jogam esta fase apenas como treino.

A Polônia, com 11 pontos, ainda faz duas partidas em Gdansk contra o Irã, na sexta e no sábado. Como no vôlei uma vitória por 3 a 0 ou 3 a 1 vale três pontos, o time pode chegar a 17. O Brasil atinge a mesma pontuação se vencer a Itália por 3 a 0 ou 3 a 1, domingo. Se os poloneses não perderem nenhum set e o Brasil levar 3 a 1, a decisão será na média feita pela divisão de pontos marcados durante as partidas pelo número de pontos sofridos, relação na qual o time brasileiro leva hoje ampla vantagem sobre os poloneses.

Brasil ressurge na competição após vitória sobre italianos em Bolonha
Brasil ressurge na competição após vitória sobre italianos em Bolonha

Por outro lado, se a Polônia perder uma das partidas para o Irã por 3 a 0 ou 3 a 1, não terá mais como ultrapassar o Brasil, que chegaria ao último jogo desta fase já classificado para o Final Six, daqui a duas semanas.

Derrotado por 3 a 1 nos dois jogos que fez contra a Itália na primeira rodada, em Jaraguá do Sul (Santa Catarina), em maio, o Brasil fez nesta quinta-feira a sua melhor partida na Liga Mundial mantendo a escalação com Bruno, Wallace, Lucão, Sidão, Murilo e Lucarelli, com Mário Júnior de líbero. Vissotto só foi utilizado na inversão, com Rapha.

Wallace, com 22 pontos, sendo 20 de ataque e dois de bloqueio, foi o maior pontuador do Brasil na partida. Bruno também utilizou bastante os centrais (Lucão e Sidão), que foram responsáveis por 13 pontos cada um, sendo que 23 foram de ataque - Sidão acertou três bloqueios.

No lado italiano, o saque, diferencial nas vitórias no início da Liga Mundial, não funcionou da mesma forma e o time só fez quatro pontos em aces. Ivan Zaytsev, filho de um famoso jogador russo, que nasceu na Itália enquanto o pai defendia um clube de lá, voltou a ser o destaque do time europeu, com 30 pontos.