1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Brasil vence Itália na Liga Mundial e fica perto da vaga

AE - Agência Estado

03 Julho 2014 | 17h 57

Com vitória, seleção tem chance de se classificar em terceiro

A seleção brasileira masculina de vôlei parece ter ressurgido das cinzas. Nesta quinta-feira, jogando pressionado em Bolonha, o time do Brasil venceu a Itália por 3 sets a 1 (parciais de 25/16, 21/25, 25/19 e 25/19) e pode voltar à quadra para a última partida da fase intercontinental, domingo, em Milão, garantido na Super Final, que também vai acontecer na Itália.

Com a vitória desta quinta-feira, o Brasil chegou aos 14 pontos no Grupo A da Liga Mundial, na terceira colocação. A equipe não pode mais alcançar Irã e Itália, que têm 19 anos, e brigam pela liderança. O terceiro colocado da chave vai à Super Final porque os italianos, como donos da casa, têm vaga assegurada e jogam esta fase apenas como treino.

A Polônia, com 11 pontos, ainda faz duas partidas em Gdansk contra o Irã, na sexta e no sábado. Como no vôlei uma vitória por 3 a 0 ou 3 a 1 vale três pontos, o time pode chegar a 17. O Brasil atinge a mesma pontuação se vencer a Itália por 3 a 0 ou 3 a 1, domingo. Se os poloneses não perderem nenhum set e o Brasil levar 3 a 1, a decisão será na média feita pela divisão de pontos marcados durante as partidas pelo número de pontos sofridos, relação na qual o time brasileiro leva hoje ampla vantagem sobre os poloneses.

Divulgação/CBV
Brasil ressurge na competição após vitória sobre italianos em Bolonha

Por outro lado, se a Polônia perder uma das partidas para o Irã por 3 a 0 ou 3 a 1, não terá mais como ultrapassar o Brasil, que chegaria ao último jogo desta fase já classificado para o Final Six, daqui a duas semanas.

Derrotado por 3 a 1 nos dois jogos que fez contra a Itália na primeira rodada, em Jaraguá do Sul (Santa Catarina), em maio, o Brasil fez nesta quinta-feira a sua melhor partida na Liga Mundial mantendo a escalação com Bruno, Wallace, Lucão, Sidão, Murilo e Lucarelli, com Mário Júnior de líbero. Vissotto só foi utilizado na inversão, com Rapha.

Wallace, com 22 pontos, sendo 20 de ataque e dois de bloqueio, foi o maior pontuador do Brasil na partida. Bruno também utilizou bastante os centrais (Lucão e Sidão), que foram responsáveis por 13 pontos cada um, sendo que 23 foram de ataque - Sidão acertou três bloqueios.

No lado italiano, o saque, diferencial nas vitórias no início da Liga Mundial, não funcionou da mesma forma e o time só fez quatro pontos em aces. Ivan Zaytsev, filho de um famoso jogador russo, que nasceu na Itália enquanto o pai defendia um clube de lá, voltou a ser o destaque do time europeu, com 30 pontos.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo