1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Cruzeiro é campeão da Copa Brasil e conquista 19º título no vôlei desde 2010

- Atualizado: 24 Janeiro 2016 | 08h 53

A hegemonia do Sada Cruzeiro no vôlei masculino brasileiro rendeu mais um título. Na noite de sábado, a equipe mineira assegurou a conquista da Copa Brasil de Vôlei ao vencer na decisão o Brasil Kirin, de virada, por 3 sets a 1, com parciais de 24/26, 25/16, 25/21 e 25/20, no ginásio Taquaral, em Campinas, cidade do time derrotado na final.

O Cruzeiro já havia levado o título da Copa Brasil, uma vez, em 2014, e agora volta a ser campeão desse torneio. Desde 2010, quando foi iniciada a parceria entre o time mineiro e a Sada, a equipe já conquistou 19 títulos, o que confirma o seu domínio do vôlei no Brasil.

Entre essas conquistas, se destacam três títulos da Superliga (2011/2012, 2013/2014 e 2014/2015) e dois Mundiais (2013 e 2015). Para o levantador e capitão William, essa rotina de finais e conquistas acabou sendo fundamental para que o Cruzeiro suportasse a pressão de ser visitante e de ainda ter começado perdendo a decisão do último sábado.

"Foi um bom jogo, digno de uma final. O nosso time encarou a final como tinha que ser. Temos um grupo acostumado a disputar título, a enfrentar esses momentos, mas sabíamos que ia ser complicado, principalmente por estar fora de casa. Mas, o time cresceu no momento certo e, independentemente do que vai jogar, entramos em quadra sempre para ganhar", afirmou William

Já o técnico do time de Campinas, Alexandre Stanzioni, lamentou que seus jogadores não tenham mantido o mesmo ritmo do primeiro set nas parciais seguintes. "O jogo foi equilibrado, mas a partir do segundo set nós passamos a sofrer no passe e isso atrapalhou a nossa virada de bola. Contra o Sada Cruzeiro isso não pode acontecer e nós tivemos que forçar e arriscar mais o nosso saque. A equipe mineira foi melhor, mas nós disputamos uma boa final, estamos crescendo e espero disputar mais decisões como essa no futuro", disse Stanzioni.

A Copa Brasil foi disputada por dez times, sendo os nove melhores colocados no primeiro turno da Superliga, além da equipe anfitriã. Como o torneio ocorreu em sistema eliminatório, o Cruzeiro precisou vencer dos jogos, contra Canoas (3 a 0) e Sesi-SP (3 a 2), para se garantir na final.

O JOGO - Na noite de sábado, Cruzeiro e Brasil Kirin fizeram um duelo equilibrado no primeiro set da decisão, que terminou com a vitória da equipe campineira por 26/24, graças a uma boa passagem de Olteanu pelo saque e também em função dos bloqueios e ataques de Wallace.

Esse equilíbrio desapareceu no segundo set, quando o bloqueio do time mineiro foi bem mais efetivo. Além disso, o cruzeirense Wallace foi fundamental para que o time fechasse a parcial em 25/16. Embalado, o Cruzeiro manteve o ritmo no terceiro set, mas o time campineiro conseguiu manter o duelo equilibrado até quando o placar era de 18 a 18. Depois, porém, o Cruzeiro sobrou, liderado por Wallace, e fechou a parcial em 25/21.

Em vantagem, o Cruzeiro abriu 5/1 no começo do quarto set. O time da casa até tentou esboçar uma reação, mas a equipe mineira se aproveitou dos erros do oponente para fazer 14/9. Assim, com tranquilidade, venceu por 25/20, assegurando o triunfo por 3 sets a 1.

O técnico Marcelo Mendez escalou o Cruzeiro com William, Wallace, Éder, Pedrão, Filipe e Leal, além do líbero Serginho. Winters, Fernando, Alan, Éder Levi e Rodriguinho entraram durante o duelo.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX