Cuba é a adversária do Brasil no Grand Prix, neste sábado

A seleção brasileira de vôlei não terá vida fácil neste sábado na semifinal do Grand Prix. Vai enfrentar Cuba, histórico rival, que ficou nesta sexta-feira com a segunda posição do Grupo A após a vitória da Itália sobre a China por 3 sets a 0 (25/17, 25/17 e 25/14, em 1h11), no segundo jogo do dia, disputado em Reggio Calabria, na Itália. Esta partida será às 9h30 (de Brasília), no ginásio Palacalafiore. A outra semifinal do torneio será entre a Itália, dona da casa, e a Rússia, às 12h30. Para o time brasileiro (que nesta sexta venceu o Japão por 3 sets a 1), a principal preocupação é com a já tradicional provocação das cubanas. ?Não podemos entrar na pilha delas. Temos de imprimir o nosso ritmo e não deixar que elas joguem do jeito que querem. Elas são novas e erram muito, mas não podemos deixar que cresçam na partida?, diz a ponteira Valeskinha. ?O maior problema de Cuba é que a Barros quebrou o pé e isso faz com que o time sofra no meio. Mas elas têm três jogadoras muito boas: Ruiz, Calderon e Ortiz. Além disso, as levantadoras têm muita garra. A Carillo é uma meio excepcional, tem um saque potente e um ataque da mesma qualidade?, analisa o técnico.

Agencia Estado,

08 Setembro 2006 | 18h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.