Alexandre Arruda/Divulgação
Alexandre Arruda/Divulgação

Maringá e Canoas levam decisão das quartas da Superliga ao 3º jogo

Partidas decisivas serão nesta segunda e terça-feiras. Sada Cruzeiro e Minas fecharam a série e já estão nas semifinais

O Estado de S. Paulo

16 Março 2015 | 07h00

Enquanto Sada Cruzeiro e Minas Tênis, já classificados, começam a pensar no duelo das semifinais da Superliga Masculina, duas séries das quartas de final serão definidas apenas no terceiro e último jogo.

Nesta segunda-feira, Sesi e Ziober/Maringá fazem a partida decisiva no Ginásio da Vila Leopoldina, na capital paulista, a partir das 18h30. No confronto entre o terceiro e o sexto melhores times da fase de classificação, os paranaenses, liderados pelo levantador Ricardinho, conseguiram empatar a série no sábado. A vitória veio por 3 sets a 1, com parciais de 25/21, 25/23, 23/25 e 25/22. 

“Vamos para São Paulo no embalo dessa partida. A nossa equipe está de parabéns e fizemos o que planejamos durante a semana. Vamos com força total para tentar vencer essa grande equipe”, disse Ricardinho. Já o ponteiro Lucarelli lamentou os erros de contra-ataque e a pouca eficiência no saque, problemas que terão de ser contornados pela equipe vice-campeã nacional. "Temos de corrigir tudo o que não conseguimos fazer de bom."

No domingo, o Vôlei Canoas derrotou em casa o Funvic/Taubaté, vice-líder da fase de classificação, por 3 sets a 0 (25/22, 25/21 e 29/27). A partida decisiva será amanhã, às 21h30, no Vale do Paraíba. 

A disciplina tática foi a chave da equipe do técnico Marcos Miranda. "Ganhamos não apenas por ter cumprido a função tática projetada pelo treinador, mas principalmente porque colocamos o coração em quadra. Agora, a vitória é o único resultado possível e vamos lutar por ela", disse o levantador Evandro, eleito o melhor do jogo. Seu colega de posição, Rapha, afirmou que o Taubaté não soube aproveitar as oportunidades de fechar a série.“Tivemos as chances nas mãos, mas não conseguimos aproveitar e eles mereceram a vitória mais que a gente, porque souberam lidar melhor com isso.”

Mais conteúdo sobre:
vôlei Superliga Sada Cruzeiro Sesi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.