?Rebeladas? não voltarão no Mundial

Érika, Elisângela, Raquel, Walewska, Fofão, Virna... Agora, o torcedor da seleção feminina de vôlei terá de se habituar com outros nomes: Marcelle, Sheilla, Sassá, Valeskinha, Luciana, Fabi... O técnico Marco Aurélio Motta pretende disputar o Mundial da Alemanha, torneio que só perde em importância para as Olimpíadas, a partir do dia 30, com o grupo que foi quarto colocado no Grand Prix da Ásia. Marco Aurélio afirma ?não ser louco? a ponto de dizer que as atletas que pediram dispensa ? por divergências com ele ? não fazem falta. Mas assegura contar com uma equipe jovem, determinada e talentosa. ?Na hora de maior dificuldade e pressão, muitas não agüentaram e foram embora. As que ficaram superaram tudo isso de forma incrível. Tenho o maior respeito por elas. E muito orgulho também.? O grupo chegou nesta terça ao Brasil, após o surpreendente quarto lugar no GP ? em 2001, a equipe foi quinta. Independentemente de vitórias e derrotas, a seleção sobreviveu ?de forma digna?, segundo o técnico, ao boicote das atletas experientes. Valeskinha (de 1,80 metro, baixa em relação às russas, com média de altura de 1,90 m) e Fabi ganharam os prêmios de melhor bloqueadora e de melhor líbero, respectivamente. Marcelle, que voltou após cirurgia, teve o melhor desempenho entre as levantadoras na fase final. ?Foi uma surpresa agradável. O grupo é jovem e, por isso, instável. Dez das 12 atletas estrearam na seleção em um torneio adulto?, disse Marco Aurélio, que trabalhou apenas quatro semanas com o novo grupo. Voltas? - Marco Aurélio descartou a possibilidade de contar com as ?rebeladas?, incluindo a ponteira Virna e a levantadora Fofão. ?Pediram dispensa porque não querem defender a seleção... Não estamos mais preocupados com elas. O tempo está mostrando quem está certo. Hoje, tenho um time motivado, que quer ganhar sempre. É mais fácil trabalhar assim, com tudo às claras.? Ele pretende, no entanto, convocar a ponteira Jaqueline, que teve grave problema de circulação na mão e depende de avaliação médica ? Kátia operou o joelho esquerdo e só deve voltar em três meses. A seleção se reapresenta domingo à noite, no Rio. No Grupo D, que também tem China, Austrália, Tailândia e Grécia, o Brasil estréia no Mundial no dia 30, contra a Polônia.

Agencia Estado,

06 Agosto 2002 | 18h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.