Rússia derrota Brasil e é campeã

A Rússia venceu o Brasil por 3 sets a 1 (25/21, 25/23, 22/25 e 25/17), neste domingo, no Mineirinho, em Belo Horizonte, e conquistou o título da Liga Mundial de Vôlei Masculino. Foi a primeira vez que a seleção russa ganhou a competição, impedindo o tricampeonato brasileiro e dando o troco pela derrota por 3 a 0 para o time do técnico Bernardinho na última quinta-feira. "Estou feliz, mas também deveria ganhar medalha para mostrar à minha família", reclamou o técnico russo, Guennadi Chipouline - as medalhas são apenas para os jogadores. Mas Guennadi ficará com parte dos US$ 500 mil do prêmio para o campeão e com uma bandeirinha que levou de "souvenir". O treinador russo aproveitou a conquista para pedir à Federação Internacional de Vôlei (FIVB) passagens aéreas na classe executiva para os atletas que viajam para disputar a Liga Mundial. "São altos demais", justificou. O técnico Bernardinho culpou o excesso de erros de saque - foram 20 - pela derrota brasileira. "Nossa recepção ficou deficiente e a distribuição das jogadas, comprometida. Não se pode enfrentar a Rússia sem um saque forte. Além disso, fomos instáveis. Eles são fisicamente mais fortes e têm um bloqueio alto", explicou. Para ele, por causa da fase anterior, os russos estavam mais relaxados. "O que viesse seria lucro." Mas o técnico do Brasil não perdeu a confiança no grupo. "Gostei do que o Nalbert disse no vestiário, que perdemos a Liga, mas vamos ganhar o Mundial. Mostra vontade redobrada para tentar um título inédito." O Mundial será na Argentina, a partir de 28 de setembro. A seleção se reapresenta domingo, no Rio, para amistosos preparatórios contra França e Japão. Mais maduro - Destaque na fase final da Liga Mundial, o atacante Giba quase chorou após a cerimônia de premiação. Não ficou com nenhum dos prêmios reservados aos melhores da competição, mas sabe que mostrou evolução e amadurecimento, atribuídos à sua temporada no vôlei italiano. Neste domingo, ele fez 20 pontos para o Brasil e teve atitude de líder em quadra, pedindo atenção, incentivando nos erros e acertos, dando palpites nos pedidos de tempo, chamando a responsabilidade, pedindo apoio da torcida. "Estou com a cabeça quente, aborrecido. Peço desculpas ao público", afirmou. Giba foi o segundo maior pontuador da fase final da Liga - e quarto no geral. O maior pontuador foi o iugoslavo Ivan Miljkovic e os destaques, os russos Abramov Pavel (atacante), Alexei Koulechov (bloqueio) e Vadim Khamouttskikh (saque).

Agencia Estado,

18 Agosto 2002 | 13h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.