Rafinha Oliveira|EMS TAUBATÉ FUNVIC
Rafinha Oliveira|EMS TAUBATÉ FUNVIC

Taubaté supera o Corinthians e leva o tetra paulista de vôlei

Equipe de Lucarelli e Wallace venceu por 3 a 2 na noite deste sábado em Guarulhos (SP)

Gonçalo Junior, O Estado de S. Paulo

07 Outubro 2017 | 23h46

No confronto entre as individualidades do ESM Taubaté/Funvic e o conjunto do Corinthians/Guarulhos pelo título Campeonato Paulista masculino de Vôlei, o talento individual fez a diferença. O Taubaté se sagrou tetracampeão paulista na noite deste sábado, no ginásio da Ponte Grande, em Guarulhos (SP), com uma vitória por 3 a 2 (21-25; 25-19; 21-25; 26-24 e 15-12).

+ Leia mais notícias sobre vôlei

Em um ginásio lotado - todos os sete mil ingressos estavam esgotados -, a torcida do Corinthians empurrou o time da casa, que fez uma partida parelha até o tie-break, mas a presença de jogadores mais experientes e cascudos, como Lucarelli e Wallace, foi decisiva. "É o começo de temporada. Mudaram algumas peças, mas, por mais dificuldades que a gente enfrente, nosso foco é ficar junto e se unir pela vitória, o foco é sempre a vitória", disse oposto Wallace.

Serginho destacou o bom desempenho do Corinthians/Guarulhos, time recém-criado que completou sua terceira final. "Começamos um projeto há três meses. Jogamos com uma grande equipe, uma das favoritas à Superliga. Em três campeonatos, chegamos a três finais. Fico triste pela derrota, mas é um início de uma história bonita", disse o líbero.

No primeiro set, o Corinthians mostrou consistência nos bloqueios e saques. A equipe conseguiu seguir as determinações do técnico Alexandre Stanzioni, que queria agressividade, concentração e poucos erros. O Taubaté mostrou muitas dificuldades para "encaixar o jogo" e não conseguiu encostar no placar. Com ótima atuação no sistema defensivo e saques agressivos, o Corinthians fechou o set em 25 a 21.

O time da casa começou o segundo set melhor e chegou a ter seis pontos de vantagem, com grandes atuações de Fábio e Rivaldo. Os taubateanos conseguiram melhor posicinamento nos bloqueios e viraram o placar para 17 a 16. No final do set, os jogadores do interior cresceram na parcial e conseguiram nova virada: 25 a 19.

O equilíbrio de forças se inverteu no terceiro set. O Taubaté começou melhor o set e ficou à frente no placar abrindo 4 a 1. A torcida do Corinthians cresceu e jogou junto com a equipe. Com a energia, vibração e agressividade que havia mostrado no primeiro set, o Corinthians cresce no fim do set. Um dos diferenciais foi a força da torcida, que jogou junto com a equipe. No final do set, o time de Serginho ficou três pontos à frente: 20 a 17. Com ponto de bloqueio, o Corinthians venceu o terceiro set: 25 a 21 em 28 minutos. O Taubaté cometeu dez erros e facilitou o jogo do rival.

O quarto set se manteve equilibrado, ponto a ponto, no início e os times estavam empatados por 10 a 10, sem que ninguém abrisse vantagem. O Taubaté desperdiçou dois contra-ataques, com Wallace na saída de rede, e Lucarelli, que errou uma diagonal, mas se recuperou na defesa. Wallace cresceu no set e passou a ser bastante acionado. Depois de ficar dois pontos atrás, um bloqueio de Mineiro em Wallace empatou o jogo em 20 a 20. Em um final eletrizante, após um erro no saque flutuante de Alan Patrick, do Corinthians, o Taubaté desperdiçou o set point. O segundo set não foi desperdiçado por Wallace. Mesmo sem ter uma jornada brilhante, ele colocou no chão e definiu o quarto set para o Taubaté: 27 a 25. 

O início do Taubaté no tie-break foi avassalador, abrindo vantagens seguras (4 a 1, 7 a 3 e 10 a 6) numa trajetória firme até o título. O Corinthians conseguiu reagir forçando bastante o saque e chegou a diminuir a diferença para um ponto (10 a 9). No final, o Taubaté fez valer a experiência de seus talentos individuais e segurou a vantagem para fechar em 15 a 12.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.