Vôlei: Mundial exige "carteira rosa"

O Mundial Feminino de Vôlei, que começa nesta sexta-feira na Alemanha e vai até 15 de setembro, terá controle de sexo - o exame é realizado por saliva -, com exames enviados ao Instituto de Genética Humana da Universidade de Muenster. As garotas têm de tirar a "carteira rosa", apelido dado pelas atletas brasileiras há anos, quando era exigido para Olimpíadas, por exemplo. A Seleção Brasileira Feminina, que estréia na sexta-feira contra a Polônia, pelo Grupo D, na cidade de Leipzig, segue treinando para a partida às 9h de Brasília. A Seleção Masculina está no Rio de Janeiro se preparando para o Mundial da Argentina, a partir de 28 de setembro - os jogos do Brasil serão em Córdoba. O técnico Bernardo Rezende observa que o que importa agora é buscar novamente o bom rendimento do grupo. "Paramos por uma semana e gradativamente temos de voltar a buscar ritmo. Ao longo da nossa vida, temos de aprender com as derrotas. Vamos ter um mês de treinamento forte e muito trabalho para chegarmos no Mundial bem melhor do que chegamos na Liga Mundial", assinalou.

Agencia Estado,

27 Agosto 2002 | 20h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.