Esportes

esportes

Entrevista de Gabriel Medina após título

Surfista de Maresias chega ao Brasil nesta terça-feira

O surfista Gabriel Medina desembarcou no Brasil no começo da tarde desta terça-feira agora na condição de campeão do mundo, após vencer em Pipeline, no Havaí. O surfista de Maresias atende a imprensa ainda em São Paulo, antes de descer a serra e se encontrar com sua gente. A repórter Amanda Romanelli acompanha a entrevista ao vivo. Na redação, o repórter Rafael Fiuza conta os detalhes do novo ídolo brasileiro.

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 20h13

    23/12/2014

    Encerramos por aqui também. Obrigado pela companhia. Até a próxima! o/

  • 20h13

    23/12/2014

    Gabriel Medina agradece ao público e repórteres pela atenção e encerra a coletiva.

    Alex Silva/Estadão

  • 20h08

    23/12/2014

    Gabriel Medina ainda recebe uma réplica do capacete de Ayrton Senna de Bianca Senna

    Amanda Romanelli/Estadão

  • 20h07

    23/12/2014

    Antes de sair da sala, Medina ainda posa para fotos com a prancha. 

    Amanda Ronanelli/Estadão

  • 20h00

    23/12/2014

    Um recado para os surfistas de Maresias
    Queria agradecer a todo mundo de Maresias, São Sebastião, o Brasil. É muito bom ter amigos como o Alemão, o Caixinha, gente que eu vi pequenininho, em casa. Queria dar um abraço especial no Cauê, o meu amigo que me apresentou ao surfe. Estou feliz de ter realizado o nosso sonho.

  • 19h57

    23/12/2014

    Dois lados da fama. Cobrança que vai aumentar muito.
    Em questão de pressão, acho que é normal do brasileiro sempre ir cobrando, no esporte que tem alguém com chances de representar o Brasil. Com certeza a responsabilidade aumento. Esse ano foi mais fácil de competir, com certeza, sem mídia, sem cobrança. O desafio vai ser se manter, mas não é imipossível. Estou preparado. Eu já recebi várias críticas até agora, e eu sou um cara que consigo lidar com pressão.

  • 19h56

    23/12/2014

    Sobre o pai biológico, Claudinho
    Eu sempre falo que eu sou um privilegiado, de ter dois pais, claro que o meu padrasto, que eu moro junto, está mais do meu lado devido à minha profissão, ele entende do esporte. Eu amo o meu pai, claro que eu tenho um pouco menos de contato, quando eu estou em Maresias eu visito ele e a gente tem uma relação boa. Acho que ele está contente, quero ver ele, dar um abraço nele, tenho certeza que ele está orgulhoso de mim, foi muito bom dar esse orgulho para ele.

  • 19h55

    23/12/2014

    Sobre a Sophia, o bichinho da competição picou ela?
    Eu acho que sim. Até comentei com meus amigos e nunca vi minha irmã se emocionar assim. Quando eu abracei ela, vi gratidão, eu amo ela, é o xodó da família, ela começou a chorar no meu colo... Pensei: caraca, ela tá se emocionando, eu nunca vi isso. Acho que tem no sangue da família ser competidor. A gente nunca parou para pensar, não sei se ela quer ser surfista, joga bola, anda de skate... se for o surfe, vamos começar a sonhar.

  • 19h52

    23/12/2014

    Vai ter as Medinetes?
    O Brasil tem seus fãs, são bem apaixonados, em vários esportes tem esse lance de fãs... as Neymarzetes, as "zetes" no final, tem muitas Medinetes (risos)... Eu acho que é maneiro, é um carinho, eu me sinto orgulhoso de ser um ídolo. Tem várias meninas que escrevem textões gigantes, mandam presentes, minha mãe fica amiga de todas

    Simone: Eu sou amiga de todas!

  • 19h51

    23/12/2014

    Melhorias no circuito
    A ASP vai começar a se chamar World Surfe League, todos esses últimos cinco anos o surfe tem melhorado bastante, em lance de premiações, julgamento, eventos, estrutura, enfim, todos esses cinco anos deu para perceber a melhoria. Acredito que esse ano, aumentou a mídia também, está fazendo um bom trabalho. Ano que vem, acho que vai ter uma melhoria. Eu creio que ano que vem vão vir alguma coisa. Eu não sei o que eu mudaria, eu não me importo com dinheiro, sou apaixonado pelo surfe, mas seria bom melhorar a premiação.

    Marcio Fernandes/Estadão

  • 19h48

    23/12/2014

    Foco para o próximo ano
    Meu foco vai ser o mesmo, buscar o título mundial de novo. Vários caras bons, até os moleques que estão chegando. John John Florence, o Wilson, que ganhou em Pipeline. O Miguel Pupo, o Filipe Toledo. Estamos tomando o posto dos caras que estavam lá, Kelly Slater e o Mick Fanning. Essa geração nova está vindo bem forte.

  • 19h47

    23/12/2014

    Assédio chega a assustar
    Sim, só para chegar no carro, foi uma batalha, tinha muita gente. ÀS vezes eu tenho medo de perder a minha privacidade, mas seja o que Deus quiser. E espero que todo mundo colabore também.

    Mãe, Simone, diz baixinho: Por favor!

  • 19h46

    23/12/2014

    Conselhos para quem está começando
    Medina
    : Eu aconselharia que essa nova geração, no surfe, no futebol, em todos os esportes, eu acho que ter , ser dedicado ao que você quer ser, e ter essa responsabilidade de atleta. Treinar, se alimentar bem. Eu acreditei sempre bastante, por isso que eu estou aqui. Acreditar é a palavra certa.

    Charles: a criança tem de ir no esporte que ela mais gosta. Ter disciplina, dormir cedo, se alimentar bem, ter uma vida de atleta, decente. Com tudo isso e dedicação, pode chegar no topo e ser um atleta de elite.

  • 19h44

    23/12/2014

    Responsabilidade de um ídolo no Brasil
    A responsabilidade é gigante, muitos moleques, familias, que me acompanham... Eu vou ser sempre eu, vou tentar passar o melhor que eu posso, do que eu sou, e quero ser um bom exemplo para esse pessoal todo.

  • 19h43

    23/12/2014

    Pessoas que não entendiam de surfe...
    Lá no Havaí eu conheci vários brasileiros, na hora de jantar, na hora do treino na praia. Muita gente não entendia de surfe. Mato Grosso, Tocantins... a torcida deles era Medina, e eu achei muito legal, alcançar gente que nunca viu surfe, que nem ia para a praia. Eu não esperava.

     

Estadão Blue Studio Express

Conteúdo criado em parceria com pequenas e médias empresas. Saiba mais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.