As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Del Bosque preserva a família mas terá que cortar na carne

Carles Martí (Espanha) e José Eduardo Carvalho (Brasil)

13 de maio de 2014 | 19h22

Edu: Como bom paizão que é, Marquês Del Bosque não quis magoar ninguém e saiu logo com uma lista de 30 para alegrar o mês de maio da rapaziada. Só tirou do caminho Álvaro Arbeloa, mas aí era uma questão de estado, porque a Espanha já não tinha mais estômago para o lateral que arrumou encrenca com meio mundo a já tinha sido enterrado naquela tarde de junho do ano passado, no Maracanã, quando foi substituído no meio-tempo, depois de ser operado por Neymar. Alguma injustiça na relação oficial de La Roja?

Carles: A palavra mais soada por aqui hoje é “natural”. Seu amigo e ex brilhante jornalista Santiago Segurola, inclusive. Não deixa de ser uma boa definição para a lista que segue um protocolo em que, salvo decepções rotundas, os jogadores vão passando por todos os escalões, pelas diversas divisões, vão conhecendo e vão sendo conhecidos. Claro que como o gargalo vai fechando, muitos vão ficando pelo caminho. Injustiças? Provavelmente muitas. Nem sempre o jogador que se destaca no clube, repete desempenho na seleção. O Atleti e o Bilbao são provavelmente os times que mais cresceram esta temporada e as listas de Del Bosque refletem isso. Com Iturraspe entre os 30, o selecionador mandou um recado de reconhecimento a Lezama. Mesmo assim, em Bilbao, seguramente dirão que faltou Iraola, Susaeta, Muniaim, Ander Herrera e até quem reclamasse a presença de Aduriz. E esse é só um dos exemplos.

Edu: Se começarmos pelos goleiros, também chamados pelos locutores daí pelo peculiar vocábulo ‘cancerbero’, os outros parecem os preferidos da maioria, já que Valdés está fora por lesão.

Carles: Sem Valdés, Casillas recupera a unanimidade. De Gea é justamente o herdeiro nessa linha sucessória, o reposto “natural”. Reina, bem, o bom do Pepe é aquela história que eu já contei aqui várias vezes, é a capacidade de animar o ambiente em pessoa, de unir a família Del Bosque nas noites de celebração. Mas se houver algum problema com Iker, imagino que a maioria de torcedores, por mais que simpatizem com Reina, optariam por De Gea. Del Bosque como bom paizão que é, provavelmente escolha Reina. Apareceram também os nomes de Roberto do Olympiakos e Diego Lopez do Madrid, mas eram meras especulações, porque nessa posição pelo menos, havia poucas chances de surpresas.

Edu: Será preciso ficar atento ao estado técnico de Casillas na Copa, porque se transformará no goleiro titular de uma seleção de ponta que menos partidas disputou como titular na temporada – exceto Júlio César, mas bizarrices não entram nessa análise. Foi nas laterais que Del Bosque fez a grande cirurgia. Chamou logo três pela direita para deixar claro a Arbeloa que não era ele, se bem que Azpilicueta joga dos dois lados. Com Alba titular absoluto, Juanfran membro da família e Azpi em grande forma (efeito Mourinho), um entre os mais jovens, Carvajal e Alberto Moreno, deve sobrar, certo? E no meio da zaga, tudo resolvido, com Javi Martinez (que pode ser volante) e Albiol na reserva de Piqué e Ramos. Albiol vejo como um grande risco, preferia o bom Iñigo Martinez, que esteve na órbita do  Barça inclusive.

Carles: Gosto do Iñigo e também desconfio de Raul, mas ambos chegam neste momento sem inspirar a confiança necessária. Quiçá o jogador da Real, pela menor experiência e, por isso, às vezes, algo imprudente, perde a corrida para o central do Napoli. Mesmo assim, o primeiro reserva para a zaga provavelmente será Javi Martinez, mesmo tendo quem defenda que, na cabeça do Marquês, Busquets seja a opção para a zaga, antes que o jogador do Bayern. Não faz muita diferença pois, jogariam os dois. O caso dos laterais provavelmente tenha sido o maior gerador de manchetes, principalmente pela ausência de Arbeloa, cujo resto de dignidade, concordo com você, ficou enterrado em algum ponto do gramado do Maracanã. Mas não é por isso que ele chamou os três da direita. Juanfran é menos da família do que se possa imaginar, mas responde à carência do futebol espanhol nessa posição, a certa altura. Por isso o Atlético recorreu a ele, originalmente ala, e desse modo também ele chegou à seleção. Penso que Carvajal é o futuro nessa posição, mas é o mais jovem e isso deve pesar contra ele na lista definitiva. O mesmo acontece com Alberto Moreno. Portanto, arrisco que ficam os dois de fora e Azpicuelta, que mostrou certa versatilidade, vai como reserva para os dois lados. Claro, tudo isso depende ainda da total recuperação de Jordi Alba.

Edu: Aí chegamos ao núcleo de maestros da Roja. Del Bosque relacionou 11 jogadores por ali (ou 13 se considerarmos também Navas e Pedro) e certamente terá que cometer algum deslize na hora de definir oito ou nove. Imaginando que Busquets, Alonso, Xavi, Iniesta e Cesc são intocáveis, sobrariam três vagas para David Silva, Koke, Cazorla, Thiago, Iturraspe e Mata. Tirar Silva seria um suicídio, é, de longe, o melhor meia atacante espanhol da temporada. Certamente Iturraspe dança, porque pode ficar para futuras seleções. Quem será o imediato de Xavi: Koke ou Thiago?  De qualquer forma as coisas ficam difíceis para Cazorla (que até fez um bom ano no Arsenal) e principalmente Juan Mata. A menos que Del Bosque sacrifique um dos pontas, Pedro ou Navas, no que não acredito. Será um setor em que o técnico terá que cortar na carne.

Carles: Bom, comecemos eliminando Iturraspe que, de fato, fica para o futuro. É um jogador do corte de Javi Martinez e, em menor medida, também de Busquets. Dos 13 jogadores relacionados para essa linha, devem cair dois, para os quais proponho três candidatos: Cazorla, Thiago e Mata. O jogador do Bayern vem de uma contusão e por isso, poderia ser um dos excluídos. Depende dos próximos amistosos. Só que ele é um jogador de perfil único dentro do grupo, mesmo com a possibilidade de fazer ora a função de Xavi, ora a de Silva, ou seja o jogador entre linhas. Também aparece por aí, o sócio ideal de Diego Costa, Koke que, contudo, oferece mais combatividade que os outros. Silva, por outro lado, tem chegada e às vezes profundidade, jogador de extrema que foi também. Mata que vinha ‘in crescendo’ desde que se revelou no Valencia e foi um dos jogadores importantes no seu início no Chelsea, desde a final do Maracanã parece ter perdido também um pouco de confiança, própria e alheia. E nessa ficamos, três candidatos para dois cortes, a não ser que Villa também fique em terra e com isso aumente uma vaga no setor.

Edu: Supondo que Navas e Pedro são peixinhos do Marquês, dos cinco atacantes centrais, pela sua tese, pode ter lugar garantido apenas Diego Costa, um presente de Felipão ao reino de Espanha. Porque, se dos 13 do meio de campo forem cortados apenas dois, Cesc seria o falso 9 tão adorado pelo Marquês. Conclui-se, portanto, que Llorente, Villa e Torres estão na lista dos 30 como uma última homenagem? E como fica Negredo, que começou como um furacão no City e agradou quando foi titular da Roja?

Carles: Navas é peixinho seu também, que eu saiba. Também é um jogador com perfil único no grupo. Eu tampouco deixaria de levar Jesusito, confesso. Nesse caso e pelas minhas contas, tem ainda lugar para Diego Costa e Negredo, ambos com toda a certeza, e Villa e/ou Torres, dependendo dos sacrificados no meio. Recapitulando a lista de 23: Casillas, Reina, De Gea, Juanfran, Piqué, Ramos, Jordi Alba, Azipilicueta, Albiol, Busquets, Javi Martinez, Xabi Alonso, Xavi Hernández, Iniesta, Cesc, Koke, Silva, Pedro, Mata, Cazorla (Thiago), Negredo, Diego Costa e Villa.

Edu: Então é isso. Você, como praticamente sócio do Marquês, deve saber o que vai rolar.

Carles: É só esperar o próximo dia 25 para conferir.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: