As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Olheiro de ‘La Roja’ em Guayaquil

Carles Martí (Espanha) e José Eduardo Carvalho (Brasil)

13 de agosto de 2013 | 09h29

Carles: Indignados, os jornalistas espanhóis avisam triunfantes que este é o último ano que teremos esta data Fifa em agosto: “Onde já se viu? No meio das férias de verão”. Mais uma vez, esquecem as aulas de geografia do primário e aquela história dos dois hemisférios. Sinto, mas vai ser mais uma imposição que o Sul vai ter que engolir.

Edu: O Sul também não quer saber dessa bizarrice em plenos campeonatos nacionais. Quanto menos jogos de seleção, melhor. É só perguntar para argentinos e uruguaios se foi bom interromper tudo e viajar para enfrentar Itália e Japão.

Carles: Bom, enquanto isso, façamos um acordo, hoje você me dá umas dicas sobre a seleção do Equador, adversário de La Roja e amanhã eu tento falar da Suíça. Nas Eliminatórias e à falta de quatro jogos, o combinado equatoriano caminha terceiro. Vai se classificar, não?

Edu: Ao que tudo indica, sim. O time vai bem, vem de um empate importante contra a Argentina, mas terá problemas nas quatro rodadas restantes: faz três partidas fora de casa, sendo duas com adversários diretos por uma das vagas, Colômbia e Chile.

Carles: É ilusório ou este time se parece mais com o de 2006 do que com aquele que tentou ira à Copa do África do Sul?

Edu: É um conjunto mais arejado no ataque em relação às últimas eliminatórias, mas que mantém os jogadores experientes no eixo central, como o zagueiro capitão Ayoví e o meio-campista Édison Méndez. O principal nome do time, Antonio Valencia, não estará em campo – preferiu não deixar o Manchester na semana de abertura da Premier. De qualquer jeito, a ‘Roja’ vai sofrer porque hoje em dia os adversários enfrentam o campeão do mundo com entusiasmo redobrado.

Carles: Conhecemos principalmente bem dois jogadores desse time, Jefferson Montero que em 2009, aos 20 anos de idade, já estava jogando no filial do Villarreal, fez uma boa temporada mas na seguinte, no time principal, as coisas não foram tão bem. Passou por Levante e Betis sem mostrar seu melhor jogo e acabou no México. E Caicedo, que também jogou no Levante fazendo gols e deixando boas lembranças para a torcida ‘granota’. São os dois os maiores perigos desse time?

Edu: Felipe Caicedo, hoje no Lokomotiv de Moscou, ainda é o jogador de mais peso no ataque, pela vivência internacional importante, apesar de ter apenas 24 anos. Montero é outro que evoluiu bastante, está fazendo uma grande fase eliminatória. E também pode começar jogando a grande novidade da Seleção Equatoriano Sub-20 de dois ou três anos atrás, Marlon de Jesús, revelado pelo El Nacional e que, aos 17, foi contratado pelo River Plate. Teve até uma passagem rápida pelo Grêmio e hoje, aos 21, está no Emelec. Será o substituto natural de Christian ‘Chucho’ Benítez, morto em consequência de uma peritonite, em julho, logo depois de se transferir para o Catar. Aliás, o jogo será uma homenagem a ‘Chucho’, cuja morte aos 27 anos traumatizou o futebol equatoriano.

Carles: Será um real motivo de emoção e uma força adicional. Mas o pior inimigo continua sendo o cansaço da ‘Roja’, muitos dos principais jogadores nem viajaram a Guayaquil.

Edu: A poucos dias de começar a Liga é uma ofensa programar um jogo desses. E já não importa quem não foi. Os que viajaram vão ser submetidos a um massacre físico e, à exceção dos que jogam na Itália (Llorente, Albiol), cujo campeonato não começa neste fim de semana, todos os outros chegarão em cima da hora para as rodadas de seus torneios nacionais. E é preciso levar em conta que alguns emendaram viagens da pré-temporada, como os jogadores do Real Madrid, que foram direto dos Estados Unidos para o Equador, enquanto os do Barça voltaram da Ásia no sábado e já embarcaram no domingo. Francamente. Não foi à toa que Fàbregas deu aquele ‘migué’ no último amistoso e descolou uma lesão básica no tornozelo para pular fora dessa.

Carles: Aquela cara de dor de novela das seis não enganou ninguém, né? Mas taí, você reclamou e o Del Bosque atendeu. Desta vez a seleção principal conta com a metade do baby boom.

Edu: Não é renovação, segundo ele, é uma ‘ampliação do elenco’. O Marquês está se especializando em elipses e sofismas. Agora, tem que colocar os garotos para jogar, Isco e Thiago principalmente.

Carles: Provavelmente Isco e Thiago Alcântara devem mesmo ser titulares, certamente acompanhando Javi Martinez e Cazorla no meio. Iñigo Martinez, Koke e Tello, também daquele time campeão europeu sub 21, devem entrar durante o encontro.

Edu: Não acho que ele deixará Iniesta no banco. E, pela obsessão que Del Bosque tem por hierarquias, aposto que começará o jogo com só um dos garotos, provavelmente Isco, e mais tarde introduzirá o Thiago. No ataque, acho até que Tello tem chance, mas quem será o centroavante?

Carles: Eu acho que vai preservar o Andrés, mesmo porque os equatorianos não vão querer dar mole. Por outro lado, prefiro Fernando Llorente, mas acho que começa Negredo. Algo me diz que Del Bosque tem um certo débito com ambos, mas parece que ele sempre procura dar maior satisfação ao madrileño.

Edu: Não seria injusto. Negredo fez uma boa pré-temporada no City, bem mais eficiente do que Llorente na Juve. Aliás, prevejo problemas de adaptação ao ex-atacante do Bilbao, não porque seu estilo não case com o futebol italiano, mas porque a Juve, hoje, é um time que exige mais mobilidade do jogador de referência dentro da área. Negredo, porém, já mostrou que não terá grandes problemas de adaptação.

Carles: Não seria estranho. A temporada da Premier vai se parecer mais com La Liga que ela própria.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: