As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sai Torres, entra Michu

Carles Martí (Espanha) e José Eduardo Carvalho (Brasil)

27 de fevereiro de 2013 | 06h37

Carles: E o jovem Swansea de 100 anos de idade é campeão da League Cup!

Edu: E a estrela é Michu. Como dizem seus compatriotas, na Inlgaterra ‘los españoles estan de moda’…

Carles: Mas no caso do Swansea não é nada por acaso, desde que passou por lá Roberto Martinez, hoje técnico do Wigan, outro treinador espanhol, o clube decidiu adotar uma filosofia espanhola. No campo é lógico, não na gestão, que nisso não estamos de moda.

Edu: Fale mais sobre ele. Não conhecemos por aqui. Se não me engano foi jogador do Zaragoza, é isso?

Carles: Sim, foi jogador do Zaragoza, mas só chegou a disputar um jogo na primeira divisão, depois foi para o Balaguer, da sua cidade, e daí junto com outros dois jogadores, para o Wigan inglês, onde ficaram conhecido como ‘The Three amigos’, numa alusão aos personagens Disney do “Você já foi à Bahia”, lembra? Na verdade foi ele que abriu esse caminho agora massivo, a Spanglish League.

Edu: The Three Amigos tem a cara dos britânicos. Lembro sim, virou cult.

Carles: O fato é que Martinez acabou sendo treinador do Swansea na temporada 2007-08 e conseguiu o acesso do time à Premier. Agora o treinador é Michael Laudrup, dinamarquês com larga vivência na liga espanhola. E o time conta com mais três espanhóis, além do Michu.

Edu: Esse era craque, o Laudrup. E continuou fazendo um trabalho bem interessante no time galês, que tem um jeito legal de jogar, com todos os meio-campistas circulando muito e aparecendo na área para concluir. E o Michu é um atacante heterodoxo, um tipo estranho, parece que nunca vai chegar mais sempre chega. E atacante canhoto sempre tem algo diferente.

Carles: Não é do tipo grosso, é até habilidoso, mas é atacante puro, goleador, marrudo. Aposto nele para ser o próximo centroavante de la Roja, com licença de Villa. Tudo depende da evolução física e técnica do asturiano mais famoso, ‘El Guaje’. Mas acho que se o Michu seguir nessa linha, pelo menos podemos esquecer o lento e pesado Negredo.

Edu: Ah não, Negredo não. Me lembra o estilo Grafite, que o Dunga teve a manha de levar para a Copa.

Carles: Bom, o Marquês tem a manha com o Negredo. Mas voltando ao Swansea é um projeto sólido. Laudrup revelou que na gestão passada o clube alcançou um lucro de 20 milhões, quando muitos clubes ingleses estão em quebra ou pertencem a grupos pouco transparentes. É um clube vendedor, fatura, comprando jogadores desconhecidos e multiplicando por dez o investimento. E existe um trabalho sério para procurar novos jogadores e revelá-los.

Edu: Com o sucesso que está fazendo, dificilmente Michu continua no Swansea na segunda temporada dele na Inglaterra. Mas, se for para um time maior, vai ter a responsabilidade de honrar o caminho aberto na Premier pelos craques do meio-campo, Silva e Matta, agora também o Cazorla. Será que ele segura essa onda?

Carles: Essa é a pergunta que nos fazemos, onde estará jogando Michu no ano que vem? O clube despista e diz que ele está contente, aquela conversa diplomática de sempre, mas o certo é que por uma boa oferta, certamente passam nos cobres. E aí o Michu vai ter a responsabilidade que não teve até agora, com os focos sobre ele, porque até agora usou e abusou do fator surpresa, senão perguntem ao Ferguson que declarou não conhecer o Michu. Aí, os jornais ingleses não demoraram em estampar: Nice to Michu.

Edu: Se Ferguson não conhecia, imagina o Felipão, então? Quero ver se o Michu estará por aqui na Copa das Confederações. Se bem que, se o Brasil chegar a enfrentar a Espanha, o menor dos problemas será o tal Michu.

Carles: É possível que ele entre na próxima convocação, algo já esperado na última. Mas o Marquês é contemplativo e não gosta desses arroubos, prefere manter o grupo e aos poucos ir introduzindo novidades. Mas não chega a ser injusto. Se ele ouvir a galera, acredito que nas próximas convocações vai ter Michu vestindo ‘la roja’. ‘El niño’ que se cuide.

Edu: Por aqui, continuamos preferindo enfrentar ‘el niño’ Torres, mais inofensivo do que nunca. Aliás, qualquer hora precisamos tentar explicar aqui o que aconteceu com esse cara.

Carles: Posso explicar quando quiser.

Edu: Amanhã, então…

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.