As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Senhoras nem tão discretas

Carles Martí (Espanha) e José Eduardo Carvalho (Brasil)

12 de fevereiro de 2013 | 16h27

Edu: Sara Carbonero em linha de colisão com Cristiano Ronaldo. ¿Que pasa?

Carles: Acho que a “senhora Casillas” só mostra um pouco de lealdade. A colisão, na verdade, é entre Iker e Cristiano. Aliás, a colisão é geral no plantel do Real Madrid, rachado em grupos de apoio e repúdio ao Mourinho.

Edu: É um pouco isso né? Sarita não resistiu e defendeu o namoradão, dizendo que não há clima para o Mourinho, logo depois de o português colocar Iker Casillas na reserva. Agora estão dizendo que ela vai pedir demissão da tevê em que trabalha para evitar conflitos éticos. Mas só agora?

Carles: Apesar do jeitinho de sonsa, ela sempre soube o que fez e pelo visto sabe quando mover as peças.

Edu: ‘Mover as peças’ é ótimo. Iker que o diga…

Carles: Também não acho que esteja muito valorizada pelo Vasile.

Edu: Quem é Vasile?

Carles: Paolo Vasile. É o comandante em chefe das tropas avançadas na Espanha de Silvio Berlusconi, proprietário do grupo Tele 5 italiano, canal em que a Carbonero trabalha como vaso de flores, digo, como repórter de campo.

Edu: No mínimo ela é uma ótima fonte…

Carles: Suponho

Edu: Aliás tem algum nome na Espanha para as periguetes que circundam em torno dos jogadores. Como aqui as marias-chuteiras e na Inglaterra as WAGs (wives and girlfriends)?

Carles: Hummm, ainda não. Mas sejamos justos com Sara: ela estava no auge e o Iker, como se diz por aqui, “no se comia un rosco” quando eles começaram a sair. Ele tinha saído um tempo com uma ex-miss de origem andaluza, Eva Gonzalez, mas pelo jeito era o mais tímido do grupo. Eva, inclusive, tem uma personalidade forte, possivelmente demasiado forte. Sara aparentemente é mais suave, inclusive demais para intervenções durante os jogos. E tem ajudado muito o Iker diante das câmaras. Ele está treinando, oferece uma melhor presença pública.

Edu: Nada contra Sarita, muito ao contrário, e ela nem tem jeito de periguete. Pergunto sobre isso porque ultimamente muito se tem dito sobre as mulheres dos jogadores na Espanha, Elas estão nas manchetes bem mais do que por aqui. Se não é Sarita é a senhora Piqué, ou a mulher do Sérgio Ramos, que também parece bem fervidona. Até a discreta senhora Iniesta já andou se manifestando. Em matéria de WAGs a Espanha se rivaliza hoje com a antes imbatível Inglaterra.

Carles: O tema de hoje aqui é a chamada “prensa rosa”, hehehe. As revistas de celebridades, como vocês dizem por aí.

Edu: Extamente.

Carles: Então, não podemos deixar de fora a senhora Daniella “Cesc Fábregas”

Edu: Verdade, também andou frequentando manchetes.

Carles: Ela meio que se autoelegeu líder do grupo formado pelas mais votadas entre as namoradíssimas ‘culés’. Aparece em constante companhia das senhoras Piqué e Messi. Foi notícia desde o início,  Inclusive pela diferença de idade com Cesc e pela forma como começou o relacionamento entre ambos.

Edu: São mais velhas que seus respectivos?

Carles: Daniella foi pedir um autógrafo ao Fábregas num restaurante e ele não conseguiu evitar reparar nos dotes da libanesa. No caso do Messi acho que eles até têm mais ou menos amesma idade, conheceram-se na infância, no bairro. Leo já estava em Barcelona, mas foi em uma das suas voltas à Argentina que se reencontraram, ainda adolescentes.

Edu: Isso tem a cara do Messi – valores da infância, fidelidade, bom-mocismo…

Carles: Tem uma foto postada pela Daniela no Twitter em que ofusca, e ela sabe, a mulher do Messi (Antonella) e inclusive a Shakira, a senhora Piqué como todo mundo sabe. Eis a foto do trio: Daniella_Semaan+_Shakira_Antonella_Roccuzzo.png

Edu: Por essas e outras que te digo: a história de vários dos grandes jogadores pode muito bem ser contada pelo comportamento de suas ‘parejas’… Veja na Inglaterra. Intocáveis como o John Terry e o Ryan Giggs foram bombardeados por envolvimentos um tanto espalhafatosos. Terry paga por isso até hoje, renunciou à seleção por não ter que conviver com caras que andaram reprovando o que ele fez. E tem as WAGs que são mais carismáticas que o próprio jogador, como a Coleen Rooney, tão perigosa dentro de uma área quando o atacante do Manchester. E, dizem, mais rica também. Coleen ficou célebre por várias frases lapidares. Uma delas: ‘O que mais me fascina é cheiro de carro novo’. E agora, para completar, o Ashley Cole se envolve com uma moça que segundo consta é ‘modelo e atriz’, Anna Kelle, definida pelos tabloides ingleses como uma ‘bissexual ninfomaníaca’.

Carles: Bom, o Terry paga caro, mas deve muito. Não é só a questão pouco ética das suas conquistas que inclui mulheres de amigos, mas o escândalo público por estacionar numa vaga de deficientes e passar horas num restaurante.

Edu: Além de brigas em bares e o episódio racista com Anton Ferdinand, do QPR, irmão do Rio Ferdinand, do Manchester. Mas a questão do envolvimento com a mulher de um colega de seleção (Wayne Bridge) é que parece ter detonado tudo.

Carles: Verdade, “el chico se luce”.

Edu: No Brasil, pelo jeito, tanto a rapaziada quanto as eventuais pretendentes – periguetes ou não – têm muito o que aprender…

Carles: Ou, quem sabe, a mídia ainda não tenha explorado de verdade esse viés.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: