As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A ‘disputa’ pelo lugar de Del Nero na Fifa

Almir Leite

24 de novembro de 2015 | 13h33

Aquilo que Marco Polo del Nero sempre negou será oficializado provavelmente até esta quinta-feira: ele perderá seu cargo no Comitê Executivo da Fifa. Sua saída será formalizada no Congresso da Conmebol, que está sendo realizado no Rio de Janeiro.

O presidente da CBF será substituído porque desde que vários cartolas ligados à Fifa, entre eles José Maria Marin, foram presos na Suíça, em 27 de maio, foi envolvimento em corrupção, ele não sai mais do Brasil. Portanto, não representa a Conmebol, nem o futebol brasileiro, nas reuniões da Fifa.

A ausência selou o destino de Del Nero. Sua saída da Fifa está definida pelo menos desde setembro.Este blog, por exemplo, informou sobre a queda no dia 22 daquele mês (http://esportes.estadao.com.br/blogs/almir-leite/del-nero-forte-na-conmebol-fraco-na-fifa/).

 

A briga, agora, é para emplacar seu substituto. Del Nero continua forte na Conmebol – apesar de também não ter colocado mais os pés na sede da entidade, em Assunção.

O brasileiro trabalha firme para emplacar seu substituto. Entre os nomes que tenta emplacar estão Mauro Carmélio, presidente da Federação Cearense e que o representou na Fifa no dia seguinte à prisão de Marin e cia, inclusive participando de votação, e Fernando Sarney, que o tem substituído em todas as reuniões da Conmebol.

Falou-se também em Reinaldo Carneiro Bastos, presidente da Federação Paulista. Mas há quem garanta que Bastos não toparia, até por seu esforço de tomar distância e independência de Del Nero.

A força de Del Nero na entidade sul-americana, no momento, se dá mais pelas circunstâncias – presidentes das federações colombiana e chilena acabam de renunciar e também estão encalacrados com as maracutaias – e por sua amizade com o presidente Juan Angel Napout.

Assim, ele não deve perder seu cargo na Conmebol, como aliás o blog também já mostrou em 22 de setembro.  Del Nero ainda é um problema menor para os cartolas sul-americanos do ponto de vista regional.

Mas na Fifa, já deu. Por isso, há quem queria, dentro da Conmebol, substitui-lo por cartola de outro país. O argumento é que se colocar alguém de seu grupo, Del Nero vai continuar dando as cartas. No entanto, as chances de essa ala obter sucesso, é bastante remota. E o Comitê Executivo da Fifa continuará a ter um brasileiro.