As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A estratégia da CBF para ter Neymar

Almir Leite

30 de setembro de 2015 | 21h35

O destino de Neymar começa a ser definido  nesta quinta-feira pelo TAS (Tribunal Arbitral do Esporte). O órgão se reúne para apreciar o recurso da CBF, que visa a liberar o craque para os jogos contra Chile e Venezuela pelas Eliminatórias.

O órgão não costuma divulgar seus veredictos no dia da audiência e não o fará no caso de Neymar – promete a sentença para o dia 5 de outubro -, mas a CBF já mexeu os pauzinhos para convencer o Barcelona a liberar o craque se o parecer do TAS for favorável ao jogador.

Vale lembrar, primeiro, o argumentação da CBF. Alega a entidade que o regulamento da Copa América prevê que jogador suspenso que não puder cumprir toda a punição durante a competição, pagará a pena na Copa América seguinte. Ou seja, Neymar terá cumprir os dois jogos que restam de sua suspensão pela encrenca do jogo com a Colômbia no torneio de 2016.

Com essa argumentação, a CBF quer ver o TAS desconsiderar o entendimento da Fifa, de que Neymar tem de cumprir as duas partidas nas Eliminatórias, pois é uma competição oficial da entidade (faz parte da Copa do Mundo), a primeira realizada depois da Copa América, que também é uma competição chancelada pela Fifa.

Portanto, é isso que o TAS irá julgar. Se entender que a pena deve ser cumprida em competição da Fifa, a suspensão será mantida; se entender que deve ser em uma Copa América, ele estará livre para defender o Brasil.

Aí entra a estratégia da CBF. Legalmente, o Barcelona não precisa liberar Neymar, pois o prazo de convocação de estrangeiros já terminou. Mas poderá fazê-lo por liberalidade. É nisso que aposta a CBF.

A entidade já fez dois contatos com o Barcelona. No primeiro, semana passada, a acolhida ao pleito foi boa; no segundo, ocorrido depois da contusão de Messi, o Barça continuou disposto a colaborar, mas mostrou-se um pouco mais reticente.

O blog conversou com interlocutor ligado ao clube catalão que revelou que, em Barcelona, depois das contusões de Messi e de Iniesta, há o temor de que algo mais de ruim ocorra com outros jogadores – e Neymar é um dos principais do elenco.

Mas a CBF argumentará que o craque vai ficar sem jogar, apenas treinando, caso não seja liberado, por 10 dias e que estando ele em atividade é melhor para ambas as partes.

Como o prazo para apresentar a lista dos jogadores que enfrentarão o Chile dia 8 termina 24 antes, a CBF terá até lá para obter o sim definitivo do Barcelona. E as chances são animadores. Mesmo porque, para um craque como Neymar, basta chegar e jogar.

Ressalte-se que Dunga ainda não anunciou substituto para o lateral-direito Rafinha, que pediu dispensa. Pode estar reservando a vaga para Neymar.

Mas não está descartada a convocação de outro lateral. Lucas? Marcos Rocha? Será que o Barcelona aceitaria liberar também Daniel Alves?

Tudo isso, saberemos nos próximos dias.

Tendências: