As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

As mais belas homenagens

Almir Leite

30 de novembro de 2016 | 22h04

Entre as dezenas de homenagens feitas mundo afora, Brasil adentro, aos 71 mortos na tragédia do voo da Chapecoense, as da noite desta quarta-feira, quando aconteceria o primeiro jogo da decisão da Copa Sul-Americana, se destacaram.

A Fox saiu do ar por 90 minutos, em respeito a seus jornalistas mortos, aos outros profissionais de imprensa, ao pessoal da Chape.

Saiu do ar não. Ficou no ar de maneira emocionante. Com  a tela preta, onde se podia ler no fundo uma hashtag (#90minutosdesilencio), e com o placar do jogo que deveria acontecer entre Atlético Nacional e Chapecoense correndo o tempo.

Uma homenagem ousada, mas também singela e, acima de tudo, belíssima.

Na Arena Condá, o que se viu foi uma cidade inteira chorando a morte, mas também celebrando a vida – e os vencedores.

Em Medellín, os colombianos fizeram algo que jamais será esquecido. Dentro e fora do estádio.

Foi emocionante ver 52 mil pessoas homenagearem a Chape, e todos os outros que estavam no avião e não conseguiram sobreviver.

Não teve jogo, mas teve respeito.

O que se fez foi algo inimaginável. Belíssimo e, acima de tudo, confortante num momento tão difícil.

E a multidão que se colocou do lado de fora do estádio, impossibilitada de entrar pois não havia mais lugar?

Três belos exemplos de solidariedade. Que mostram que nem tudo está perdido.