As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A resposta do governo do Distrito Federal

Almir Leite

25 de junho de 2012 | 21h23

O governo do Distrito Federal enviou a posição oficial ao comentário do blog sob o título “A pisada de Agnelo” sobre a decisão do governador Agnelo Queiroz de vetar a manutenção do nome “Mané Garrincha”  no estádio de Brasília. O ato se deu por meio do veto ao projeto de lei 501/2011. Justifica alegando que a homenagem a Garrincha já estava contemplada, não havendo, assim, necessidade de uma lei para este fim.

Leiam abaixo a resposta do Governo do Distrito Federal e também o fac-símile do veto, em que, entre outros argumentos, Agnelo diz que o terreno onde está sendo feita a obra pertence à Terracap e somente a empresa poderia dar nome à arena.

Mas ficam as perguntas: se o nome já está contemplado, por que não aprovar simplesmente a lei? Terá algo a ver com uma futura venda dos naming rights do estádio?

CONFIRA A RESPOSTA DO GOVERNO DO DF ABAIXO

Governo do Distrito Federal
Prezado Almir Leite,

em janeiro deste ano, o governador Agnelo Queiroz confirmou como Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, o nome da ecoarena em construção na capital federal.

Por este motivo, o Projeto de Lei 501/2011, encaminhado pela Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), foi vetado no dia 05 de junho, como publicado no Diário Oficial do DF. Na avaliação do Governo do Distrito Federal, o nome do Estádio com a homenagem a Mané Garrincha já estava contemplado, e por isso o objetivo do Projeto de Lei já estava apreciado.

O Governo do Distrito Federal reafirma que não há qualquer objeção do Poder Executivo quanto ao nome do Estádio, que traz uma justa homenagem e imortaliza esse craque do futebol brasileiro. E que a ação do governador no início de 2012 visava reforçar a homenagem e garantir o nome do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha.

O estádio será palco da abertura da Copa das Confederações, em 2013, e de sete partidas da Copa do Mundo de 2014. Será mantido o nome que homenageia o lendário jogador, campeão nas copas de 1958 e 1962.

CONFIRA O DOCUMENTO DO VETO NA ÍNTEGRA,

Documento

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.