As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A ‘sinceridade’ de Blatter

Almir Leite

17 de julho de 2013 | 23h04

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, voltou ao ataque.

Baseado nas manifestações populares ocorridas durante a  Copa das Confederações, disse ter dúvidas sobre o acerto na escolha do Brasil para sediar a Copa do Mundo de 2014.

O suíço Blatter deu a declaração na Áustria.

Ou seja, do lado de casa.

Quando esteve por aqui, na época da Copa das Confederações, fez um balanço positivo da Copa das Confederações.

Dentro do campo e também fora – apesar das manifestações.

Concluiu dizendo que o Brasil será aprovado na Copa do Mundo.

Agora, fala o que realmente pensa.

De quebra, EXIGE que o governo brasileiro impeça que as manifestações voltem a ocorrer durante da Copa do Mundo.

O argumento, simplório, é que a Fifa não tem culpa das diferenças e dos problemas sociais existentes no Brasil.

Como se as manifestações feitas na época em que a Fifa esteve por aqui tivessem apenas a entidade como endereço.

Quanta pretensão.

Se o governo não conseguir controlar a turba, dá a entender Blatter, ficará provado que a opção pelo país foi equivocada.

Maravilha!

Gostei do arroubo de sinceridade de Blatter.

Bem que ele poderia aproveitar esse arroubo para revelar os reais motivos que levaram à escolha do Brasil.

Mas aí é pedir demais, né?

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: