As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A vergonha de Muricy. E a vergonha que vem do Rio

Almir Leite

05 de abril de 2015 | 21h40

Dois importantes personagens mostraram neste domingo, de maneira e por motivos diferentes, a fase vergonhosa por que ainda passa o futebol brasileiro.

Muricy Ramalho se disse envergonhado com o comportamento do São Paulo na derrota para o Botafogo de Ribeirão Preto, pelo Campeonato Paulista. Fred expôs a situação vergonhosa do futebol carioca. Aliás, expôs mais uma vez a esculhambação que reina dentro e principalmente fora dos campos no Rio.

Muricy já não transmite a mesma força que o caracterizou. Admite estar preocupado com a saúde, mas demonstra estar decepcionado mesmo é com a apatia, a falta de reação, o desinteresse até desse elenco do São Paulo. Que por sinal não é tão bom quanto a diretoria tenta fazer acreditar.  Diria até que é bem mais ou menos.

Fred, ao contrário, continua forte em suas posições. Foi expulso de maneira incrivelmente injusta e ridícula. E aproveitou para falar a mais pura verdade: do jeito que estão as coisas, é mesmo melhor o Campeonato Carioca acabar (fique tranquilo, Fred, o fim do futebol carioca já está sendo providenciado pela cartolagem).

Claro que expulsões injustas acontecem. Sempre ocorreram e vão continuar a ocorrer. A de Fred apenas serviu como pano de fundo para um desabafo de alguém que tem coragem de falar, e às vezes fala besteira, em cima dos desmandos que estão acontecendo.

Vale ressaltar que a Federação e todos os clubes do Rio estão em guerra contra Flamengo e Fluminense, apenas porque eles querem ter o direito de fazer o contrato que entendem ser melhor para eles (na minha opinião não é) para utilizarem o Maracanã.

Por isso os jogadores das duas equipes entraram com tarjas pretas em campo ontem; por isso, torcedores protestaram nas arquibancadas.

Vale ressaltar também que Vanderlei Luxemburgo, o técnico do Flamengo, foi suspenso por fazer críticas à federação. No Rio, não se pode abrir a boca contra os cartolas da federação. Por isso, e porque o presidente do Fluminense, Peter Siemsen, também já foi denunciado por suas posições contra a Ferj, os jogadores das duas equipes levaram as mãos à boca, simulando mordaça, antes de começar o clássico.

Muricy tem seus motivos para sentir vergonha. Fred, para reclamar. Fla e Flu, para protestarem.  Pena que, principalmente no caso do futebol carioca, as chances de dar em nada são imensas.

PS: os protestos de Fred e cia. não podem esconder uma outra realidade: o Fluminense não jogou nada contra o Flamengo. Aliás, pouco jogou até agora neste ano.