As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Fifa e sedes, mais uma queda de braço

Almir Leite

28 de agosto de 2013 | 15h25

A Fifa e o COL se debrucam, na quinta 29 e na sexta 30, num tema tão imp0rtante quanto polêmico: as estruturas temporárias para a Copa do Mundo.

O Fórum Técnico de Instalações Complementares, marcado para o Rio, com a participação de representantes das sedes, promete ser quente.

As sedes vão reivindicar à Fifa que abra mão de muitos itens que exigem – e que elas não julgam tão necessárias assim.

Estruturas temporárias são itens como tendas para alojar voluntários, montagem de centro de mídia – com móveis como mesas e cadeiras, televisões, sofás -, grades para a montagem de barreiras dentro e fora das arenas, geradores de energia e muitos outros itens.

Normalmente, são alugados e consomem, de acordo com cálculos feitos por algumas sedes, de R$ 30 milhões a R$ 35 milhões.

Mas as sedes consideram muita coisa desnecessária; em relação a outras, reclamam do tipo de material exigido pela Fifa. Entendem que podem ser mais simples, e por consequência mais baratos.

Ah, e são as sedes que pagam as contas.

Por ocasião da Copa das Confederações, a Fifa já abriu mão de algumas exigências. Não se sabe se abrirá agora.

Uma das ocupações do fórum será com uma  explicação detalhada do material conceitual (entende-se que várias sedes ainda não compreenderam a importância da temporárias).

Também haverá discussão sobre os modelos de entrega.

A Fifa e o COL recomendaram que as sedes mandem ao fórum técnicos responsáveis pela confecção do edital – sim, a contratação desses serviços deve ser feita por concorrência pública.

  É clara a tentativa das entidades em falar para “quem é do ramo”. Mas justamente por isso talvez tenham de abrir concessões.  

Pelo men0s em relação às estruturas temporárias, parece que ninguém quer gastar dinheiro à toa.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: