As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Inteligência emocional

Almir Leite

30 de junho de 2014 | 22h15

Que os jogadores da seleção brasileira estão pilhados, todos já perceberam.

O problema agora é o que fazer para que tenham – ou passem a ter – controle emocional.

Felipão já avisou que esse será o principal ponto a atacar a partir de agora.

Talvez seja tarde.

Afinal, a Copa está na reta final, as emoções estão afloradas e não é fácil controlá-las.

Ainda mais quando não foi feita uma preparação em tempos de calmaria.

Agora, a pressão pelo título é grande – até porque, apesar de jogadores e comissão técnica criticarem as críticas de boa parte da imprensa ao mau futebol da seleção, a parte mais influente dela criou um clima ufanista e levou o torcedor/patriota a reboque.

E jogadores e comissão técnica contribuíram para esse oba- oba.

Todo esforço para colocar a razão na frente da emoção é válido.

Mas nessa altura do campeonato talvez só reste apostar na emoção.

Ah, e jogar um pouco (ou muito) mais de bola também será de grande valia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.