Marcelo Moreno dá chance a todos os jogadores de mostrarem que não são meros fantoches
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Marcelo Moreno dá chance a todos os jogadores de mostrarem que não são meros fantoches

Ao criticar a Copa América e virar alvo da Conmebol, boliviano proporciona aos outros atletas a oportunidade de se posicionarem

Almir Leite

16 de junho de 2021 | 16h41

“Obrigado a vocês da Conmebol por isso. A culpa é totalmente de vocês. Se morre uma pessoa, o que vocês vão fazer? O que importa é somente o dinheiro, a vida do jogador não vale nada?”

A declaração é de Marcelo Moreno, jogador bem conhecido dos brasileiros – atualmente está de volta ao Cruzeiro – e figura constante na seleção da Bolívia.

O motivo, claro, é a insanidade de se fazer a Copa América num momento em que o Brasil, e de resto todo o continente,  observa novo agravamento dos casos de coronavírus.  Ao comentar o alto número de infectados envolvidos de alguma forma com o torneio, ele teve coragem de dizer o que muitos pensam, mas preferem se calar.

Marcelo Moreno teve a coragem de criticar a Conmebol. Será punido por expressar sua opinião?

E o que fez a Conmebol? Abriu um tal de “expediente disciplinar” contra o jogador, o que tanto em bom português como em bom espanhol, ou ainda qualquer outro idioma do planeta, significa INTIMIDAÇÃO.

A cartolagem da Conmebol tradicionalmente não admite que seus subalternos, os jogadores, tenham opinião. Ou quando têm, que calem a boca. E quando essa opinião ataca a “instituição” então, aí é como se fosse um crime inafiançável.

Onde já se viu um simples jogador criticar a “entidade”? Pela ousadia, invoca-se o artigo 62 do Código Disciplinar, que em seus artigos b e d prevê punição a quem ofender, insultar ou difamar a soberana Conmebol.

Por ter falado o que falou, Marcelo Moreno pode ser advertido, multado e/ou até perder prêmios que eventualmente fizesse jus por conta do torneio.

Claro, democraticamente,  a Conmebol dará a ele o direito de defesa. E a chance de se desculpar.

Faz parte do circo.

Ao criticar a Conmebol, Marcelo Moreno deu a todos os jogadores que estão na competição, uma chance de ouro: a de se posicionar de forma incisiva sobre o descalabro que é essa Copa América.

Caso ele seja punido, ainda que com uma “simples” advertência, caberá a eles, se tiverem coragem e personalidade, ficar do lado do colega de profissão.

E, se for o caso, até boicotar o torneio, dando uma banana para os interesses financeiros e políticos dos que os obrigaram a jogar.

Caso venham a se omitir, vão continuar ricos, famosos, badalados. Mas perderão algo fundamental a todo ser humano: o respeito.