As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

MP vai pedir abertura de inquérito em novo caso de manipulação de resultados

Caso envolve a equipe do Estanciano, de Sergipe, que participa da Copa São Paulo de Juniores; Federação Paulista já realiza investigação

Almir Leite

09 Janeiro 2018 | 21h53

O Ministério Público vai pedir abertura da inquérito para apurar a denúncia de tentativa de manipulação de resultado ocorrida na Copa São Paulo de Juniores.  O técnico do Estanciano de Sergipe, Ricardo Pereira, denunciou ter recebido proposta de R$ 7 mil para que o resultado da partida entre o seu time e o Itapirense, na quinta-feira passada, fosse combinado – o jogo terminou 3 a 2 para o time paulista, pela primeira rodada. A suspeita é que a máfia que vem sendo investigada desde 2015 continua “atacando”, ou então que as investidas atuais são de outra ramificação de manipuladores.

De acordo com Pereira, o presidente do clube, Sidnei Araújo, teria participado do encontro em que a proposta foi feita, junto com outras pessoas que se diziam empresários e ligados ao mercado chinês. Alguns jogadores também teriam sido procurados. O clube sergipano receberia R$ 30 mil. O treinador acabou demitido por Araújo, que se licenciou do cargo para “provar sua inocência”.

A Federação Paulista já está investigando o caso, por meio do Comitê de Integridade, criado em 2016, em consequência da descoberta de uma máfia de manipulação de resultados em 2015, que desaguou numa operação liderada pela Polícia Civil denominada “Game Over”. Havia compra de resultados em partidas das Séries A2 e A3 do Campeonato Paulista, em jogo de torneios sub-20, campeonatos no Nordeste e até a Série D do Brasileiro.

As investigações da polícia e do MP levaram a prisão de 7 pessoas, entre jogadores e empresários, a maioria e ex-jogadores, ligados à máfia asiática. O caso está na Justiça, mas ainda não há nenhum condenado.