As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O Brasil vai ser Palmeiras na quarta-feira

Decepção da temporada até agora, pelo potencial que tem e pelo pouco que fez na prática, o Alviverde poderá "salvar'' o Brasileirão

Almir Leite

10 de julho de 2017 | 11h15

O torcedor palmeirense não vai gostar. Mas a realidade é que o Palmeiras é a grande decepção da temporada até agora. Tem dinheiro a dar com o pau (a patrocinadora tem), contrata no atacado e no varejo, mas ainda não engrenou. Tanto com Eduardo Baptista como com o Cuca atual, é time batido com relativa facilidade e raramente ganha jogo com autoridade.

Não se pode negar, no entanto que o Palmeiras tem elenco, e elenco com qualidade. O que pode levar a uma mudança de patamar a qualquer momento. Mudança, nesse caso, definitiva. Pode vir a ser um time que entrega o que dele se espera, ou seja vitórias e título – ou no mínimo briga consistente pelas taças, algo que até agora não ocorreu em nenhuma das competições que disputa ou disputou.

E o Brasil inteiro do futebol espera que o início dessa mudança ocorra na próxima quarta-feira, no clássico em que receberá o Corinthians em sua casa – onde não perde há um tempão. Com exceção dos corintianos, por motivos óbvios, todos os torcedores dos outros clubes, notadamente os que têm o direito de aspirar alguma coisa, vestirão verde.

Por um simples motivo. Na quarta, o Palmeiras terá a missão de “salvar” o Campeonato Brasileiro. Na bola, e por estar em casa, parece ser um dos poucos times com reais condições de vencer o Corinthians – que não está imbatível por acaso. E, se o fizer, dará um pouco de graça a uma competição que vai apenas para a 13ª rodada, mas cuja festa no final do ano já dá pinta de ter destinatário.

Brecar o Corinthians  dará fôlego não só ao Palmeiras como aos perseguidores mais próximos do time de Fabio Carille. Time que provavelmente vai oscilar durante a competição, visto que o caminho ainda é longo. Mas que está tão confortavelmente na frente, e tem um futebol tão consistente, seguro, prático e eficiente, que já parece estar com a mão na taça, pois mais absurdo que isso possa merecer quando ainda faltam 26 rodadas.

Se o Palmeiras perder na quarta-feira, azar o do campeonato. Nem tanto o do próprio Palmeiras, que ficará 16 pontos atrás do rival e líder, e, arrisco dizer, dará adeus ao segundo título nacional seguido. No entanto, poderá dedicar-se mais à Libertadores, meta principal na temporada, mas torneio no qual até agora o time jogou pedrinha, e à Copa do Brasil, competição em que a equipe também tem grande tradição.