As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O Corinthians está querendo se complicar; o São Paulo começa a querer se salvar

A garra, aliada à competência técnica e tática, pode reerguer o São Paulo; a soberba dos jogadores do Corinthians pode colocar tudo a perder

Almir Leite

24 de setembro de 2017 | 13h24

O São Paulo não merecia não ganhar o clássico; o Corinthians não fez por merecer sequer empatar. Mas, como todos sabem, no futebol nem sempre o que acontece em campo se reflete no placar do jogo.  Foi o que ocorreu neste domingo no Morumbi.

O ameaçado pelo rebaixamento São Paulo foi superior o tempo todo ao líder disparado (ainda) Corinthians. Foi superior tecnicamente, foi superior taticamente. Não deu aula de futebol como disse o esforçado Petros. Mas fez por merecer a vitória que não veio.

Mesmo porque o São Paulo teve algo que faltou ao Corinthians: garra. Seus jogadores tiveram vontade, determinação. Já os corintianos…

Aliás, não é de hoje que a soberba tomou conta dos jogadores corintianos. A quantidade de passes errados por displicência do passador, e também de quem deveria receber a bola, e a quantidade de divididas perdidas porque o corintiano foi de pé mole na bola ilustram essa soberba.

O Corinthians até melhorou um pouco neste aspecto no segundo tempo. Tentou ficar mais ligado. Jogou mais como Corinthians. O São Paulo pecou por não ser tão incisivo quanto na etapa inicial. Talvez por cansaço. Mas, ainda assim,  merecia ter ganho.

O Corinthians deve comemorar o fato de ganhar um ponto sem fazer por onde. Ponto, aliás, que era tudo o que queria, como mostrou a substituição feita por Fábio Carille após o time conseguir a igualdade.

Resultado à parte, o que fica do clássico é que o São Paulo, se conseguir manter o nível apresentado no clássico, escapa da degola. E o Corinthians, se mantiver a letargia e a soberba que vem apresentando, poderá até perder um título praticamente ganho. E aí será algo bastante grave.