As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O fantasma foi espantado. Mas não tem essa de vingança dos 7 a 1

Almir Leite

27 de março de 2018 | 17h49

Vamos combinar que não tem essa de troco, vingança ou seja lá o quê relacionado aos 7 a 1.  Mas a vitória da seleção brasileira sobre a Alemanha nesta terça-feira, em Berlim, teve vários aspectos positivos.

É certo que os alemães tiraram peso do amistoso. Certo e compreensível, pois Joachim Löw tem de se preocupar com o que é mais importante para ele, ou seja, testar jogadores visando a Copa do Mundo. Foi o que fez. Assim como o Brasil também fez o que lhe interessava.

Nesse aspecto, foi bastante positivo o comportamento da equipe. Jogou com personalidade, confiança, em nenhum momento se intimidou com o rival.

Com bom toque de bola, marcação eficiente no campo adversário, infiltrações, dominou a maior parte do jogo. Criou boas chances, teve boas alternativas.

Claro, nem tudo foi perfeito. O Brasil deu muito espaço, os laterais Daniel Alves e Marcelo foram envolvidos várias vezes, e a cobertura foi falha. Na fase final da partida, quando os alemães se lançaram, a seleção deixou-se pressionar perigosamente.

Ainda bem que Thiago Silva e Miranda fizeram grande partida. Mas esse é um aspecto que Tite precisa corrigir.

Seja como for, se era para espantar o fantasma, ele está espantando. E isso é muito importante às vésperas da Copa.

PS: os amistosos com Rússia e Alemanha serviram para colocar Douglas Costa no grupo dos 23. E Thiago Silva entre os 11 titulares.