As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Portugal pode ser a grande ausência da Copa

Almir Leite

21 de outubro de 2013 | 15h35

França, Romênia, Croácia e… Portugal ou Suécia.

O sorteio da repescagem para a Copa do Mundo definiu, na modesta opinião deste blogueiro, três das últimas quatro seleções europeias que virão ao Brasil em 2014.

Mas deixou uma dúvida bastante importante: Quem teremos por aqui? Cristiano Ronaldo ou Ibrahimovic?

O confronto entre Portugal e Suécia é o mais equilibrado da repescagem.

Por Portugal ser uma seleção instável, que depende muito de Cristiano Ronaldo, e pelo fato de a Suécia ter uma boa equipe, que joga um futebol objetivo, embora não muito vistoso.

E que, por isso, não depende tanto de Zlatan.

Telê Santana dizia que, em jogos de mata-mata, é preferível fazer o primeiro em casa e tentar abrir logo uma vantagem confortável para o segundo  – a pressão, nesse caso, é do adversário, que entra em campo, diante de sua torcida, com a vaga na mão e tem obrigação de confirmá-la.

Caso não fosse possível, ensinava o mestre, ainda dava para tentar obter o resultado fora de casa .

Pelo apreço que sempre tive por Telê, e por ser um raciocínio lógico, concordo com ele em quase todas as situações.

Creio realmente que, quando se trata de um confronto equilibrado, fazer a primeira partida em casa e encaminhar  log0 a vaga é a melhor estratégia.

O lado ruim é que, ao contrário do que pensava Telê, creio que, se a estratégia não der certo, a vaca vai mesmo é para o brejo.

Por isso, acho melhor Portugal tratar de garantir a vaga no jogo em Lisboa.

Dos outros confrontos, é possível que a retranca grega atrapalhe a vida da Romênia. Mas ainda acredito nos romenos.

A Ucrânia, creio, não será páreo para a França, apesar de jogar a primeira em casa.

E estou com aqueles que acham que seria interessante ter a Islândia no Mundial. Mas essa é a maior barbada da repescagem. E a Croácia voltará à Copa, após a ausêcia de 2010.

FELIPÃO E A LIBERDADE

Felipão quer por que quer definir o futuro de Diego Costa. Acha que cabe a deci~são de ele convocar ou não o jogador – apesar de o próprio já ter afirmado que prefere jogar pela Espanha.  “Não me tirem a liberdade de escolha”, defende o treinador da seleção brasileira. Beleza. Mas pergunto: E a liberdade de escolha do jogador?

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: