As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Renato disse não ao Corinthians porque sua meta é treinar o Flamengo

Treinador observa os movimentos e sabe que Rogério Ceni, sempre balançando na Gávea, poderá cair ao primeiro tropeço.

Almir Leite

21 de maio de 2021 | 13h51

O sonho de outono do Corinthians foi curto. Renato Gaúcho, como era previsível, disse não.

A situação atual do Alvinegro, com elenco fraco e sem dinheiro para grandes voos na contratação de reforços, pesou.

Mas o que pesou mesmo é o olhar de Renato em direção à Gávea.

Renato é ambicioso – e não há nenhum mal nisso. Ao contrário, desde que os princípios éticos sejam mantidos, faz muito bem a quem quer evoluir na carreira e na vida.

Renato Gaúcho sonha com o Flamengo e por isso acabou com o sonho do Corinthians

Nos seus planos estão o Flamengo e a seleção brasileira.

O Flamengo, que ele já recusou antes, está mais próximo, e Renato sabe disso.

A implicância de boa parte da torcida, insuflada por flamenguistas ilustres da crônica esportiva,  leva a crer que Rogério Ceni não vai durar muito mais no rubro-negro.

Ele fica enquanto estiver vencendo. Mas ao primeiro tropeço, os  contrários a ele vão aproveitar para aumentar ainda mais a pressão por sua demissão.

Tudo indica, pelo posicionamento claudicante da cartolagem do Flamengo, que vão conseguir.

Isso pode acontecer já neste sábado, caso o time perca o título carioca para o Fluminense.

Ou se e quando o Flamengo for eliminado da Libertadores – embora nesse caso, mal ou bem, ele classificou o time para as oitavas de final, que serão disputadas apenas em julho.

Mas mesmo sendo campeão carioca e classificando o time em primeiro no Grupo da Libertadores, Rogério não estará livre do risco de receber cartão vermelho do Flamengo.

É só o time titubear na fase inicial do Brasileirão.

Para piorar, Rogério Ceni também não se ajuda muito. É antipático, não admite quando erra – ele tem errado, embora os acertos sejam em maior quantidade -, não tem um pingo de humildade. É intolerante.

Renato não é muito diferente. Aliás, é praticamente igual.

Só que, agora, está do lado de fora. E tem a simpatia de grande parte da torcida flamenguista e da mídia.

Ciente disso, ele resolveu esperar. Sua chance pode estar chegando.

A justificativa dada para o não ao Corinthians, a de que quer ficar mais perto da família neste momento, nada mais é do que uma gentileza, uma maneira de mostrar respeito pelo clube e pelo esforço feito para tentar contratá-lo.

Mas o real motivo é outro. É o Flamengo.

Como alcançou um estágio na carreira e na conta bancária que não lhe afetará nem um pouco caso não dê certo seu sonho de treinar o clube da Gávea, Renato resolveu esperar para ver no que dá.