As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Seleção brasileira: Tite resgata dupla de 2014

Almir Leite

13 de junho de 2017 | 15h16

Independentemente dos resultados, que interessam mais pela estatística do que pela prática, os amistosos da seleção brasileira contra Argentina e Austrália foram proveitosos por vários aspectos. Um deles foi o resgaste dos zagueiros Thiago Silva e David Luiz – que contra os australianos atuou como volante, para o deleite de muitos que defendem que esta é sua melhor posição. Este blogueiro é um dos defensores dessa tese desde a Copa das Confederações de 2013.

Ambos ficaram marcados pela Copa de 2014. Thiago Silva pelo choro e pelo cartão bobo recebido no jogo contra a Colômbia que tirou da partida contra a Alemanha; David Luiz pela desastrosa atuação no desastroso 7 a 1.

Ambos voltaram à seleção brasileira com Dunga. Thiago Silva se queimou pelo pênalti bobo cometido contra o Paraguai na Copa América do Chile; David Luiz pelas várias atuações atabalhoadas, culminando com a expulsão boba na partida contra a Argentina nas Eliminatórias.

Tite, porém, não se pauta apenas por antecedentes ruins. Leva também em consideração os bons antecedentes e, sobretudo, o momento. Daí que tanto Thiago Silva como David Luiz, no somatório da temporada que fizeram por Paris Saint-Germain  e Chelsea, respectivamente, mereciam ser observados.

Ambos corresponderam. Thiago Silva teve atuações seguras contra Argentina e Austrália, demonstrou espírito de liderança, ajudou a posicionar o setor defensivo. David Luiz mostrou-se um bom protetor de área, ajudou a iniciar jogadas com seu conhecido bom passe e demonstrou que ainda vibra ao vestir a camisa da seleção.

Fez muitas faltas, como sempre. Mas, como volante, comete as infrações mais longe da área, o que é menos arriscado para a seleção. De qualquer maneira, seria bom que finalmente corrigisse esse exagero.

O fato é que ambos passaram no teste. Mostraram que podem ser úteis. Já não são mais titulares, pois deram brecha e perderam o lugar. No entanto, têm espaço no grupo. E isso é importante numa Copa do Mundo.