As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Tite decide ‘radicalizar’

Treinador acena com várias experiências no amistoso com o Japão. Faz muito bem

Almir Leite

08 Novembro 2017 | 16h44

Tite radicalizou. Deixou de lado o discurso adotado em outubro – de que a necessidade de testes não o levaria a fazer  alterações profundas na seleção brasileira, e sim “encaixes” sem mudar a estrutura da equipe – e vai mudar meio time para o amistoso de sexta-feira com o Japão. Pelo menos é isso que fez transparecer no treino desta quarta-feira em Paris, quando montou o time com Danilo na lateral-direita, a dupla de zaga formada por Thiago Silva e Jemerson, os volantes Casemiro e Fernandinho juntos (como já dissera que iria fazer), e Giuliano na meia.

Faz bem o treinador. O Japão não é um adversário de primeira linha e ele realmente precisa experimentar alguns jogadores. A reserva da lateral-direita, por exemplo, ainda está aberta, assim como uma vaga no miolo de zaga. E a impossibilidade de testar Diego (do Flamengo) dá a oportunidade de fazer uma última experiência com Giuliano.

A partida contra os japoneses é ideal para testes no atacado. No amistoso seguinte, contra a Inglaterra (bastante desfalcada), Tite deverá voltar a escalar seu time titular, aquele com o qual pretende estrear na Copa (considerando-se o que ele pensa hoje).  Ou seja, aproveitará o máximo os dois jogos tanto para observações como para consolidar mais um pouco o time.  É uma boa estratégia para quem, a rigor, tem pouco tempo.