As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Tite prefere ganhar a fazer testes na seleção

Treinador escala time campeão da Copa América, acrescido de Neymar, para enfrentar o Senegal e deixa as obervações em segundo plano

Almir Leite

08 de outubro de 2019 | 14h36

Um dos argumentos para a realização de amistosos desimportantes pela seleção brasileira é testar novos jogadores. Por isso, a cada convocação, um ou outro “novato” aparece na lista. Mas para Tite, acima de tudo, o que interessa é ganhar.  O treinador está deixando isso claro mais uma vez na escalação do time que enfrenta Senegal na quinta-feira.

Tite não faz por menos.  Monta o time titular com os nove jogadores de linha que conquistaram a Copa América mais Neymar, que só não jogou a competição que o Brasil ganhou porque estava contundido (o goleiro agora será Ederson porque Alisson está machucado.

Óbvio que repetição de equipe é algo saudável para, entre outros aspectos, aprimorar o entrosamento. Ainda mais quando se trata de seleção, cujos jogadores não convivem diariamente.

Mas está claro também que Tite optou por escalar o time titular porque se sente pressionado. No mês passado, a seleção tropeçou na data Fifa. Empatou com a Colômbia e depois perdeu para o Peru. E como futebol é resultado…

Tite se sentiu pressionado após cair nas quartas de final na Copa da Rússia. Admitiu que, apesar das garantias dada pelo presidente da CBF, Rogério Caboclo, poderia perder o emprego se a seleção não ganhasse a Copa América. Porém, a seleção ganhou e o treinador se fortaleceu.

Parece, no entanto, que não se sente tão forte assim. Tem receio de que algo possa lhe acontecer  se o Brasil tropeçar contra as duas “potências” africanas. Não creio que seja assim. Mas, ao preferir deixar as experiências em segundo plano – apostam que só mexerá na equipe quinta-feira se o placar estiver favorável? -, vai ver ele tem razão.

 

Tendências: