As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Vanderlei Luxemburgo entra na mira da seleção do Equador

Almir Leite

11 Janeiro 2018 | 14h39

Em entrevista concedida ao excelente Ciro Campos, publicada pelo Portal Estadão nesta quinta-feira, Vanderlei Luxemburgo reclamou do preconceito contra os técnicos mais velhos, que na sua visão existe no futebol brasileiro e cresceu depois do fracasso retumbante da seleção na Copa de 2014. Aos 65 anos, ele ainda não guardou o terno e a gravata no armário e diz esperar um convite para voltar a trabalhar, desde, é claro, que possa desenvolver um projeto.

Pois bem, essa oportunidade poderá aparecer no futebol do Equador, mais precisamente na seleção do país. A opção Luxemburgo é considerada pelo presidente da federação Carlos Villacis. O brasileiro é um dos nomes estudados, junto com Ricardo La Volpe, argentino que já comandou as seleções do México e da Costa Rica e que passou os últimos anos trabalhando em clubes mexicanos, como o América.

Villacis falou da “opção Luxemburgo” a jornalistas de seu país. Garantiu que não fez contato com ele nem com La Volpe. Ponderou que só vai definir o novo treinador da seleção no mês de março.

A impressão que deu é que, ao jogar nomes no ar, Villacis quer sentir como será a acolhida por parte da imprensa. Se assim for, pode-se dizer com base em algumas reações que mais gente torceu o nariz para o nome de Luxemburgo do que para o de La Volpe.

Mas para quem considera que o preconceito é o grande entrave do momento à sua carreira, ser lembrado em outro país, ainda que não dê em nada, até que não é ruim…