As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Emiel Pauwels, estrela do atletismo master, despede-se da vida com champanhe

Amanda Romanelli

07 de janeiro de 2014 | 18h45

Emiel Pauwels é uma estrela do atletismo master. Na segunda-feira, o atleta de 95 anos reuniu amigos e familiares, cerca de 100 pessoas, para fazer uma festa de despedida regada a champanhe, na cidade de Bruxelas, na Bélgica. O veterano competidor fez uso da permissão dada pelo governo belga e decidiu cometer eutanásia após ser diagnosticado com câncer no estômago e no cólon. Ele recebeu uma injeção letal nesta terça, em sua casa.

Pauwels esteve na edição do Mundial de Atletismo Master que foi disputado em Porto Alegre, em outubro. Foi no Brasil que começou a sentir alguns sintomas da doença. À imprensa belga, disse que não conseguiu se alimentar bem durante a competição em que, mesmo assim, disputou seis provas (100 m, 200 m, 400 m, 800 m, salto em altura e lançamento do dardo).

“Em outubro, no Brasil, não conseguia me alimentar. E eu sempre fui bom de prato. De manhã, eu sempre comia antes de treinar uma laranja e uma banana, dois ovos com bacon e quatro fatias de pão com chocolate e queijo camembert. À noite, eram quatro sanduíches de presunto”, explicou. “De início, eu achava que estava sofrendo um pouco por causa da longa viagem de avião. Mas não era isso. Algumas semanas depois, fui ao médico e eles me mandaram imediatamente para a emergência. Quatro dias depois, fui diagnosticado com câncer. Eles disseram, porém, que meu coração e meu fígado estavam tão bons quanto o de uma pessoa de 60 anos.”

Ao decidir pela eutanásia, Pauwels afirmou que não lamentava deixar este mundo. “Quem não gostaria de terminar sua vida com uma taça de champanhe na companhia de seus entes queridos? É a festa mais bonita da minha vida.” Ele afirmou que os médicos propuseram uma cirurgia, mas ele recusou a intervenção.

A Bélgica é o segundo país do mundo a liberar parcialmente a  eutanásia – o primeiro foi a Holanda. A lei, que entrou em vigor no dia 22 de setembro de 2002, permite que os médicos utilizem a prática em pacientes que expressem a vontade de morrer por causa de doenças incuráveis que causem sofrimento físico ou psíquico constante e insuportável.

No ano passado, Pauwels foi campeão europeu indoor dos 60 metros rasos. O vídeo de sua vitória, na competição disputada em San Fernando, na Espanha, rodou o mundo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: