As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Liga Diamante não chega ao Brasil em 2015

Amanda Romanelli

23 de novembro de 2014 | 15h51

A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) informou que o Brasil não receberá uma etapa da Liga Diamante em 2015 – pelo menos, por enquanto. O conselho da competição se reuniu em Mônaco e definiu que, por ora, não haverá a inclusão ou a entrada de novas etapas no principal circuito de provas do atletismo.

A informação foi passada na manhã deste domingo ao presidente da CBAt, José Antonio Martins Fernandes, pelo presidente da Liga Diamante, o checo Petr Stastny. “O Conselho poderá se manifestar novamente no primeiro trimestre do ano que vem”, disse Toninho, que esteve em Bruxelas durante a semana.

Além do Rio – que realizaria suas provas no Engenhão -, eram postulantes a receber uma etapa do torneio as cidades de Rabat (Marrocos), Pequim (China) e Ostrava (República Checa). A Liga Diamante já publicou o calendário de 2015 em seu site. A abertura será em Doha, no dia 15 de maio, e as finais em Zurique e em Bruxelas serão disputadas em 3 e 11 de setembro, após a disputa do Mundial da China (em agosto).

Stastny visitou todas as cidades candidatas ao longo desta temporada. Veio ao Brasil em agosto, acompanhou o Grande Prêmio Brasil, realizado no Mangueirão, em Belém, e também visitou o Engenhão, estádio que está em reformas e receberá as provas do atletismo na Olimpíada de 2016. À época, o checo explicou que faria um relatório sobre as visitas e avaliou que seria difícil a inclusão de uma nova cidade europeia no circuito.

O Brasil sonha com a Liga Diamante – pelo menos em público – desde 2012. Toninho, que ainda era presidente eleito da CBAt, havia iniciado as tratativas antes mesmo da Olimpíada de Londres, durante a etapa de Eugene (nos EUA). As conversas continuaram, ao mesmo tempo em que o Brasil conseguia as garantias financeiras para se comprometer a realizar o evento por cinco anos e pagar a premiação – Caixa, Nike e TV Globo serão as apoiadoras.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.