Michael Johnson: ‘Bolt pode ganhar em 2016, mas não será fácil’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Michael Johnson: ‘Bolt pode ganhar em 2016, mas não será fácil’

Amanda Romanelli

05 de dezembro de 2014 | 16h02

Até 20 de agosto de 2008, Michael Johnson era o detentor de dois recordes mundiais. Naquela noite, contudo, o jamaicano Usain Bolt melhorou em 0s02 a marca dos 200 metros que pertencia ao americano desde 1996 e conquistou o recorde mundial – venceu a final olímpica em Pequim, no Ninho do Pássaro, com o tempo de 19s30.

Bolt completou 22 anos no dia seguinte. Nos anos posteriores, insistiam para que ele passasse a correr os 400 metros também – quem sabe, tirar de Johnson a outra marca mundial? Mas o jamaicano nunca se arriscou verdadeiramente na prova que deixa os velocistas exaustos.

Estamos em 2014. Bolt já é quase um veterano. E Johnson, que esteve no Brasil nos últimos dias, diz que o jamaicano pode ser três vezes tricampeão olímpico (ou seja, vencer os 100 m, os 200 m e o 4 x 100 m) em 2016, quando terá 30 anos. Mas não será fácil.

Michael Johnson na Escola de Educação Física do Exército, no Rio

“Acho que Bolt pode vencer as três provas novamente, mas será mais difícil. Quando mais velho você fica, mais difícil é. Ele também sofreu com lesões nos últimos anos, o que pode prejudicá-lo. Veremos grandes performances, mas não mais recordes mundiais”, afirmou.

O jamaicano já sinalizou com a aposentadoria para depois de 2016 – talvez corra o Mundial de Londres, em 2017. Pergunto a Johnson: Bolt diz que tentará bater o recorde mundial dos 200 metros outra vez. Será possível?

O americano para, pensa… “É, dos 200 metros, talvez seja possível. Não o vejo batendo recorde dos 100 metros. Claro, tudo é possível, é que eu não o vejo mais quebrando recordes mundiais. Ele é um atleta especial, mas o foco dele é se manter saudável, não tanto as marcas. Ele terá de ser cauteloso, não correr tantos riscos.”

Por isso, Johnson aprovou a decisão de Bolt em competir muito pouco em 2014. “Ele fez bem ao não correr muitas vezes na temporada, porque quanto mais provas se disputa, mais estresse chega ao corpo.”

Bolt não correu os 200 metros em 2014. Nos 100 metros, sua melhor marca foi 9s98, apenas a 15ª do mundo no ano.

Tudo o que sabemos sobre:

Michael JohnsonUsain Bolt

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.