As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Três recordes mundiais, dois recordes sul-americanos… Que fim de semana!

Amanda Romanelli

17 de fevereiro de 2014 | 08h19

Fica até difícil dar conta de tudo o que aconteceu em um fim de semana muito agitado no atletismo mundial. Afinal, em apenas dois dias, três recordes mundiais foram quebrados (dois indoor), dois recordes sul-americanos indoor foram superados e vários brasileiros entraram em pista – no Brasil e na Europa. Aqui vai um resumo (que não vai ser tão resumido assim) dos fatos marcantes desta metade de fevereiro:

TRÊS RECORDES MUNDIAIS

Donetsk, Birmingham e Barcelona. As cidades de Ucrânia, Inglaterra e Espanha foram palco da quebra de três recordes mundiais neste fim de semana. O primeiro – e mais comentado – foi o do francês Renaud Lavillenie, que saltou 6,16 m no Pole Vault Stars e superou em um centímetro a marca de Sergey Bubka, conquistada em 1993, no salto com vara.

Mas, no mesmo sábado, a etíope Genzebe Dibaba conquistou um feito memorável no Grand Prix de Birmingham: bateu seu terceiro recorde mundial indoor em duas semanas! A fundista, que já havia melhorado as marcas dos 1.500 m e 3.000 m em pista coberta, fez o mesmo na prova de 2 milhas, ao correr em 9min00s48, melhorando em mais de cinco segundos o recorde obtido cinco anos atrás por sua compatriota Meseret Defar.

Por fim, no domingo, a queniana Florence Kiplagat foi às ruas de Barcelona para conquistar a melhor marca da história na meia-maratona. Ela completou o percurso de 21 km em 1h05min12, 38 segundos mais rápida que Mary Keitany, também do Quênia, havia conseguido em 2011.

DOIS RECORDES SUL-AMERICANOS

Também em Donestk, no sábado, Thiago Braz melhorou o recorde sul-americano indoor do salto com vara pela segunda vez consecutiva. Na semana passada, ele havia saltado 5,72 m na Suécia, tirando a marca continental de Augusto Dutra. Na Ucrânia, o campeão mundial juvenil melhorou o recorde em quatro centímetros.

E, em São Caetano do Sul, a velocista Franciela Krasucki também colocou seu nome na lista de recordistas. Durante a disputa do Desafio Caixa Indoor, realizado no domingo na pista coberta da BM&F Bovespa, a atleta do Pinheiros (que está classificada para o Mundial Indoor de Sopot) superou o recorde sul-americano dos 60 metros duas vezes. Na semifinal, ela correu 7s23, quebrando uma marca de quase 33 anos – Esmeralda Freitas Garcia havia corrido 7s26 em 13 de março de 1981, nos EUA. Na final, Franciela voou novamente, para vencer com 7s19. Assim, Franciela tem a 12a. marca do ranking mundial, liderado pela marfinense Murielle Ahouré com 7s03.

VITÓRIA DE FABIANA MURER

Também na Ucrânia, Fabiana Murer venceu a competição feminina do Pole Vault Stars, com a marca de 4,62 m. Ela ficou à frente da alemã Silke Spiegelburg e da polonesa Anna Rogowska (campeã mundial ao ar livre em 2009, ela lidera o ranking mundial com 4,76 m). Antes de disputar o Mundial Indoor em Sopot, a brasileira disputa um torneio em Bad Oeynhausen, na Alemanha, no dia 27.

Campeão mundial indoor do salto em distância, Mauro Vinícius da Silva, o Duda, fez sua estreia na temporada em Birmingham. O saltador, que teve problemas em sua base, por causa de duas lesões, ficou com o quinto lugar ao saltar 7,89 m. O campeão da prova foi o russo Alexander Menkov, campeão mundial ao ar livre, com 8,14 m. Duda continua na Europa, treinando em Lisboa, e pode disputar o Nacional de Clubes de Portugal no dia 22.

Também na Inglaterra, Keila Costa tentou o índice do salto em distância para o Mundial – ela já está classificada no salto triplo. A atleta, porém, não conseguiu a marca mínima, que é de 6,70 m, ao ficar na quarta posição com 6,36 m. A vitória foi da alemã Sostene Moguenara, com 6,49 m.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.