Leão saiu… e Joel está na plataforma de lançamento

Antero Greco

26 de junho de 2012 | 21h26

A temporada de degolas de treinadores no Campeonato Brasileiro começa a esquentar. Emerson Leão tomou bilhete azul (essa é antiga) nesta terça-feira e, pelo jeito, o próximo a engrossar a fila é Joel Santana. O processo de fritura dele no Flamengo vai muito bem, obrigado, e aparentemente permanece no cargo até a próxima derrapada.

O ambiente na Gávea está mais carregado do que navio mercante chinês. E não é de agora. A poeira não baixou desde a saída de Ronaldinho Gaúcho, o time não acha o rumo e, como é praxe nesses momentos, tudo conspira para o desfecho habitual, ou seja, troca de comando. Com a experiência que tem, Joel já percebeu que serenidade é artigo em falta no Flamengo. Não é por acaso que ultimamente anda de crista baixa.

A derrota por 2 a 0 para o Grêmio não só interrompeu invencibilidade no Brasileiro (cinco jogos), como reacendeu dúvidas em torno de elenco e seu chefe. Significativa a entrevista concedido hoje por Zinho. O dirigente admitiu que, “por enquanto”, Joel é o técnico. Vago…

Zinho seguiu o discurso específico dessas ocasiões – e não disse nem sim, nem não. Mas reconheceu que se busca tranquilidade para seguir o trabalho e para não ver o time afastar-se precocemente da briga pelo título de 2012. Mas a impressão que fica é a de que, a cada dia que passa, o ex-astro rubro-negro se dá mais conta da enrascada em que se meteu ao aceitar convite feito pela presidente Patrícia Amorim.

Outro ponto curioso na conversa de Zinho com jornalistas foi a revelação de que são necessários pelo menos “quatro reforços”. Como assim? Não se formou elenco no começo do ano? Não houve planejamento? O campeonato ainda engatinha e se pensa numa reformulação do time? Isso é planejamento?

Tudo o que sabemos sobre:

FlamengoJoel SantanaPatrícia AmorimZinho

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: