Flu perde o prumo e o Sport tira peso

Antero Greco

13 de setembro de 2015 | 21h05

O Fluminense não é um time ruim. Mas tem jogado futebol chinfrim. Já há algum tempo entrou numa espiral negativa e não consegue reencontrar o prumo. Foi assim de novo, na derrota por 1 a 0 para o Sport, no início da noite deste domingo, em Recife. Já a equipe pernambucana tirou peso enorme das costas, pois havia dez rodadas não sabia o que era comemorar vitória.

Fred voltou. Eis um ponto de esperança para o torcedor tricolor. O centroavante é líder e artilheiro, referência para companheiros e preocupação para adversários. Isso em circunstâncias normais. Porém, a fase que o Flu vive é tão inconstante que pouco valeu a presença do atacante em campo. Teve atuação abaixo da média e arriscou um ou outro chute sem perigo.

O Sport optou por formação mais agressiva, com Maikon Leite, Hernane, André, como alternativa para encerrar o jejum. O atrevimento de Eduardo Baptista deu certo, com o gol de Danilo e domínio do jogo. Enderson Moreira mexeu o Flu no segundo tempo, colocou gente para pressionar na frente (Osvaldo, sobretudo) sem que conseguisse alterar a forma da equipe se comportar.

Amarga outra derrota, emperrou de vez no meio da tabela e corre risco de fazer apenas figuração daqui em diante. A compensação está no fato de que um bloco significativo de concorrentes frequenta o mesmo setor. Do qual, aliás, faz parte o próprio Sport, que o ultrapassou na classificação (36 a 34 pontos).

E, no meio desse furacão, a dúvida: e Ronaldinho Gaúcho?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.