Calleri faz estragos nos rivais e história no SP

Antero Greco

22 de abril de 2016 | 01h36

Mais uma vez fez o gol do São Paulo, cansou na altitude de La Paz, irritou os jogadores do The Strongest, foi substituído. É o artilheiro isolado da competição com 8 gols.

No fim da partida – empe salvador por 1 a 1 – meteu-se em confusão na saída de campo, levou sopapos dos adversários bolivianos e ainda levou vermelho.

Jonathan Calleri, na breve passagem pelo Morumbi já está fazendo história e a equipe só passou para as oitavas da Libertadores, por sua causa, gols e movimentação ofensiva.

O próximo desafio será o Toluca: o primeiro jogo será no campo tricolor, o segundo será no México. Com certeza as dificuldades serão enormes para o São Paulo seguir no torneio.

Se apresentar o futebol jogado na capital boliviana, vai dançar diante dos mexicanos. Está certo: jogar a 3.600 metros de altitude é dose pra leão. Mas o time de Edgardo Bauza se acovardou na formação tática. É claro também que o empate era resultado sob medida e o São Paulo entrou em campo para buscar o ponto necessário.

Mas se arriscou muito para isso: Bauza escalou o time sem Ganso, para colocar três volantes e fechar-se como possível. Aos 29 minutos, Cristaldo aproveitou-se de vacilo do goleiro Denis e fez 1 a 0. Parecia que seria o fim, pois teria de partir para cima, iria cansar pelos efeitos da altitude e se tornaria presa fácil.

Era esse o panorama, quando aconteceu o primeiro escanteio para o São Paulo no primeiro tempo: 44 minutos. Michel Bastos cobrou e Calleri cabeceou: 1 a 1. Alívio parcial.

O temor era o segundo tempo. O cansaço veio e aos 22 minutos Ganso entrou. Aos 30 , Calleri deu lugar para Alan Kardec. O Strongest tentava pressionar e o São Paulo ficava firme, à espera do contragolpe. Jogo de dois times frágeis na tentativa de chegar ao que lhes convinha. Não teve mais gol.

Mas houve emoção, quando Denis recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. O zagueiro Maicon foi para o gol e fez duas defesas nos dois minutos que faltavam para o apito final.

O São Paulo assegurou classificação – e a deve muito à fraqueza dos adversários. A questão agora é ver se embala, na empolgação da vaga que parecia improvável.

(Com participação de Roberto Salim.)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.