A alegria do juiz

Antero Greco

25 de julho de 2017 | 13h11

São Paulo e Grêmio fizeram jogo difícil, na noite de segunda-feira, no Morumbi lotado. O empate por 1 a 1 não ajudou muito a vida de nenhum dos dois no campeonato, mas isto parece ter ficado em segundo plano.

O que chamou a atenção, e continua a ser discutida, foi a reação de Ricardo Marques Ribeiro. Assim que deu a última assoprada no apito e apontou o fim do clássico, o árbitro ergueu os punhos, vibrou, fez o sinal da cruz, comemorou com seus colegas.

Imagem bonita, forte, diferente. Espontânea. E que, por isso mesmo, incomodou muita gente.

A que ponto chegamos: o sujeito fica feliz por ter executado bem a tarefa que lhe incumbiram e, em vez de elogios, desperta desconfiança, comentários irônicos, memes e afins.

A maledicência preenche vidas vazias. Triste.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.