A valorização do Cristaldo

Antero Greco

22 de fevereiro de 2015 | 22h04

O Palmeiras contratou uma batelada de jogadores. No entanto, um dos que crescem e se firmam é remanescente da turma de 2014. Se pensou em Cristaldo, acertou. O argentino passou o Brasileiro sem chamar a atenção e quase vai embora na reformulação geral. Ficou, ganhou chances no ataque, tem correspondido e cai nas graças de Oswaldo e da torcida.

O centroavante se valorizou mais um pouco na noite deste domingo, com os três gols que marcou na vitória por 2 a 0 contra o Penapolense, fora casa. Isso mesmo, não tem erro na frase. Ele mandou três vezes a bola pra rede, mas a primeira não valeu, pois estava impedido.

Cristaldo brigou, chutou, acreditou – tanto que dividiu com o goleiro Leandro Santos no primeiro gol do Palmeiras, pouco antes do intervalo. Manteve a pegada na segunda parte, confirmou os três pontos com o gol aos 34 minutos e depois deixou o campo para Leandro entrar. Saiu aplaudido pelo público que foi ao estádio de Penápolis e feliz da vida. Merecido.

O Palmeiras já tem uma cara, uma espinha. Faltam ajustes e um ou outro nome para entrar e eventualmente mudar conceitos de Oswaldo de Oliveira. Um desses é Arouca, que deve estrear no próximo sábado. Outro é Valdivia. Mas… eis um caso à parte. Impossível saber quando estará em condições de jogar. Um mistério insolúvel.

A defesa está estruturada com Prass, Lucas, Vítor Hugo, Tóbio e Zé Roberto (não jogou por contusão, mas é titular indiscutível). No meio, Gabriel e Robinho mostram entendimento, enquanto Allione continua a jogar em bom ritmo. Dudu e Alan Patrick buscam espaço. Em minha opinião, não se firmaram ainda. Dudu se solta, corre, procura entrosamento e não se achou ainda. Para azar maior, perdeu pênalti. E Cristaldo vai ganhando a parada na frente.

É bom que Oswaldo tenha um rumo e nomes mais ou menos definidos. Daqui em diante fica mais fácil fazer ajustes. E jogadores à disposição é o que não lhe falta.

 

Tendências: