A volta do velho samurai

Antero Greco

27 de janeiro de 2016 | 13h32

Ano de Olimpíada tem histórias incríveis, além do superfaturamento de obras.

O mais novo milagre deste 2016 é a volta do velho samurai: aos 74 anos e ainda inconformado em ter ficado “só” com a medalha de bronze na Olimpíada de Munique, em 1972, o pioneiro Chiaki Ishii está treinando. Ele vai disputar o Campeonato Mundial Master em Miami.

Para quem não acompanha o judô ou a nossa história olímpica, seria como se o Pelé resolvesse colocar chuteiras e calção e voltar a treinar na Vila Belmiro para jogar agora uma revanche contra Portugal, por tudo que aconteceu na Copa de 1966 na Inglaterra.

Tudo bem que mestre Chiaki continuou este tempo todo em atividade, dando aulas em sua academia na Vila Pompéia. Mas sua filha Vânia e dona Keiko, sua esposa, só ficaram sabendo quando tudo já estava definido – caso contrário teriam impedido a inscrição.

Inscrição feita, não há como mudar de ídéia.

Pelo menos na vida deste imigrante que chegou ao Brasil, em 1969, atrás do sonho de ir para uma Olimpíada e defender a nova pátria.

Por estes dias, ele está treinando na cidade de Bastos, interior de São Paulo, na academia de um velho discípulo: o sensei Uichiro Umakakeba. Diz a lenda que lá os treinos são tão duros e tradicionais, que o filho chora e a mãe não vê.

É a esse treinamento que seu Chiaki está se submetendo.

Nenhuma grande novidade em sua vida: o pai era mestre e o avô foi aluno de Jigorô Kano, o criador do judô, em 1882, no Japão.

Vânia Ishii, que também foi judoca de destaque e medalhista de ouro no Pan-americano de Winnnipeg, afirma que a volta do pai não é exatamente para provar nada a ninguém: “Ele e um amigo estavam falando de lutas e, quando souberam do mundial de veteranos, resolveram lançar um desafio.”

Aliás, aceito na hora pelo Velho Samurai.

Agora é esperar para ver.

Faixa preta, nono dan, Chiaki Ishii se prepara para fazer justiça ao resultado de Munique em 1972, quando se sentiu prejudicado pelos juízes da luta em que perdeu a chance de sonhar com o ouro.

(Com Roberto Salim.)

Tudo o que sabemos sobre:

Chiaki IshiiJogos OlímpicosJudô

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.