Ainda não é Alviverde imponente, mas…

Antero Greco

14 de fevereiro de 2015 | 22h46

O Palmeiras não pode ainda ostentar a fama de “imponente”, como está no hino. Mas a versão 2015 ganha forma – e boa. A vitória por 1 a 0 no São Bento, na noite deste sábado, mostrou mais pontos de evolução da equipe e a perspectiva é promissora. No mínimo, o torcedor não viverá o tormento da temporada passada, quando a ameaça da Série B assustou pra valer.

Oswaldo de Oliveira aos poucos tem mais clara a ideia da formação ideal, se bem que continua com as experiências. Desta vez, colocou Jackson na zaga, no lugar de Tobio. Não comprometeu, enquanto o restante da defesa foi o mesmo de outros jogos. No meio, Robinho outra vez jogou mais ao lado de Gabriel, e foi um dos melhores. Não mexeu no restante.

O Palmeiras teve toque de bola interessante, em muitos momentos, mas pecou por não criar situações de gol como se esperava. E, por extensão, foram poucas as finalizações. Também esbarrou em marcação eficiente do São Bento. Mesmo assim, poderia apresentar mais.

Allione desta vez não brilhou, ao contrário de Dudu, que aos poucos se soltou e foi premiado com o gol. Aliás, numa jogada que contou com passe preciso de Zé Roberto para Cristaldo, antes do cruzamento para a área.

Cristaldo é um dos que vão se fixando. O argentino não viveu momento legal, no ano passado, e por pouco não saiu do Palestra na reformulação ampla de início de ano. Ficou, tem recebido oportunidades e sabe aproveitá-las. Antes oscilava; agora, se mostra à vontade na equipe. Abre espaços, arremata, dá passes. Ganha a confiança do técnico e da torcida.

Enfim, depois de duas derrotas em seguida vieram duas vitórias. O Palmeiras faz pausa para o Carnaval com a impressão positiva de que mostrou potencial para ser forte. O tempo dirá.

 

Tendências: