Atlético-MG e Vasco continuam a fazer vítimas

Antero Greco

21 de julho de 2012 | 20h34

Para os que acham que o Campeonato Brasileiro “ainda não começou”, recomendo ficar de olho em Atlético-MG e Vasco. Os dois levam a sério a competição, apresentam ritmo forte, não diminuem a marcha, acumulam vítimas e abrem vantagem na ponta. Os mineiros lascaram 4 a 1 no Sport, no Recife, e foram a 28 pontos. Os cariocas se divertiram nos 2 a 0 contra o frágil Santos, e se mantêm em segundo, com 26. E a fila atrás fica maior…

Tem dado gosto de ver o Galo em ação. O time de mestre Cuca joga fácil, cresce a cada vitória (são nove em 11 rodadas) e se firma como candidato forte ao título, e assim quebrar jejum que vem desde 1971. Os 4 a 1 sobre o Sport são a mais recente prova de fôlego de um grupo que tem Ronaldinho Gaúcho como o nome mais famoso, mas Bernard como a estrela em ascensão.

Como joga esse rapaz! Bernard tem 19 anos e mostra futebol de veterano (na segurança) e de iniciante (na vontade). Ele tem sido o fator de desequilíbrio da equipe mineira. Foi assim também na noite deste sábado. Quando mais foi necessária a criatividade, tanto mais ele apareceu. E deixou a marca nos últimos dois gols: construiu a jogada no do Jô (3 a 1) e fechou a conta, com um toque sutil por cobertura.

Bernard rouba até os holofotes que deveriam recair sobre Ronaldinho. Isso tem sido bom para o gaúcho, que fica um pouco à sombra, mas tem jogado bem. Além disso, também carimbou a rede, ao fazer o gol da virada (2 a 1). Antes, no primeiro tempo, Danilinho havia empatado e Gilberto proporcionou o único momento de alegria para o Sport, que entra em parafuso.

Sem rumo, também, anda o Santos, que voltou a jogar mal e mereceu a terceira derrota no Brasileiro, nos 2 a 0 em São Januário. O time de Muricy Ramalho está irreconhecível, pela quantidade de baixas já conhecidas e pela limitação dos que entraram. Aproxima-se da zona de rebaixamento, já que tem só uma vitória e sete empates.

Em compensação, o Vasco, também com desfalques, não perdeu o gás, fez o placar que lhe era necessário, com um gol em cada tempo (Douglas e Alecsandro), após cobranças de escanteio por parte de Juninho Pernambucano. Se tivesse sido mais agressivo, sairia de campo com goleada. Esbarrou também em boas defesas de Aranha.

O importante é que o Vasco não arrefece e faz sombra enorme para o Atlético-MG. Agora, fica à espera de vacilo do Fluminense (22 pontos), que amanhã visita a Ponte Preta. Vai dormir tranquilo…

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.