Avaí vira com lance pra lá de estranho

Antero Greco

13 de setembro de 2015 | 20h44

O lance decisivo do jogo que Avaí e Goiás fizeram, no começo da noite deste domingo em Florianópolis, daria o que falar, se estivessem envolvidos, por exemplo, Corinthians ou Atlético-MG. O goleiro Renan largou a bola chutada por Marquinhos, mas ao tentar pegá-la de novo foi atropelado por André Lima, que a empurrou para o gol e consolidou a virada por 2 a 1, aos 48 minutos do segundo tempo. A arbitragem considerou a dividida normal.

A interpretação do juiz Bruno Arlei de Araújo influiu no resultado e mexe com a parte de baixo da classificação do Brasileiro. Tanto um time quanto outro brigam para fugir do rebaixamento. Os goianos, que venciam por 1 a 0 até os 40 minutos, permaneceram com 29 pontos, enquanto os catarinenses subiram um pouco – foram para 26, mas continuam entre os quatro últimos.

Para o público local, a reviravolta foi espetacular, emocionante mesmo. O Goiás parecia ter controle do jogo, mesmo sob pressão do Avaí, mas viu a vitória escapar numa cabeçada de Emerson, aos 40 minutos, que garantia ao menos o empate. Depois, festejou com o gol de André Lima.

Mas foi falta sobre Renan, não há desmentir as imagens. O goleiro estava agachado e foi impedido de recuperar-se da falha inicial. André encavalou por cima dele para mandar a bola para o gol. Em divididas suaves, na pequena área, mal alguém resvala no goleiro a jogada é anulada com falta de ataque. Nesse caso, a lógica foi invertida.

Se estivesse em disputa a liderança da competição, a esta altura haveria gritaria geral, discussões intermináveis e sugestão de complô contra este e a favor daquele. Como se trata de times menores, com expressão regional, ficará confinada à série interminável de “erros de arbitragem”. Não renderá ibope.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.